Menina de apenas 4 anos é estuprada durante 10 dias, além de ter sido espancada e estrangulada

Menina de apenas 4 anos é estuprada durante 10 dias, além de ter sido espancada e estrangulada

Seu corpo estava coberto de marcas de mordida, que arrancaram pedaços de carne, e contusões

Teghan Skiba morreu em 2010 com um traumatismo na cabeça no hospital em Chapel Hill, Carolina do Norte, EUA.

Seu corpo estava coberto de marcas de mordida, que arrancaram pedaços de carne, e contusões. O caso só vai ser avaliado agora.

Jonathan Douglas Richardson, de 25 anos, ex-namorado da mãe, enfrenta a pena de morte pela a morte brutal da criança. Ele ainda enfrenta acusações adicionais de crime de abuso infantil, sequestro e ofensa sexual.

Os promotores disseram que Richardson torturou a menina de quatro anos, durante dez dias, enquanto sua mãe, Helen Reyes, estava fora do estado para a formação de Reserva do Exército. O homem levou a criança para o hospital em 16 de junho de 2010, onde afirmou que ela havia batido a cabeça enquanto pulava em móveis.

Os médicos e enfermeiros da Universidade Hospitalar da Carolina do Norte lutaram para salvar a vida da criança, mas ela morreu dias, depois de seus ferimentos horríveis terem apenas piorado. O Dr. Jonathan Privette, assistente do médico legista chefe em Greenville, disse que observou lesões do pescoço de Teghan, parecidas com marcas de um cabo de alimentação de eletrônicos.

O médico disse ao tribunal: "Quando ela veio até nós, o cérebro estava tão danificado que a matéria cerebral estava começando a sair pelas feridas, de tão fundas que eram". A criança também tinha 66 marcas de mordida, hematomas, marcas de chicote e lesões que cobriam todo o seu corpo.

O DNA do sangue de Teghan foi encontrado em uma haste de madeira dentro de sua casa. O investigador declarou que mais de 30 itens dentro de casa apresentaram evidências de sangue da menina, incluindo roupa íntimas, calças, um saco de dormir e uma fronha. Um dentista disse ao tribunal que as marcas de mordida no corpo da criança eram da arcada dentária de Richardson.

Helen Reyes prestou depoimento ontem. Ela é acusada de crime negligente de abuso de crianças, causando lesões corporais graves em conexão com a morte de sua filha. Ela está em liberdade condicional e ainda está para ser julgada.

O advogado de Richardson disse que seu cliente foi abusado quando criança e tem problemas de saúde mental. O acusado, que sorriu muitas vezes durante o julgamento, nunca havia abusado sexualmente da criança, seu advogado alegou. O advogado descreveu a morte da menina como uma "tragédia inacreditável", que o acusado não teve intenção de fazer.

As autoridades disseram que a menina estava vivendo com sua mãe e o namorado em uma residência improvisada, sem água corrente e sem banheiro atrás da casa dos avós de Richardson.





Fonte: DailyMail