Militar que fez vídeos de sexo poderá ser dispensado de cargo

Militar que fez vídeos de sexo poderá ser dispensado de cargo

Produções mostram militares de biquíni e simulando masturbação

Um alto oficial da Marinha Americana que produziu e divulgou vídeos amadores à tripulação de um porta-aviões há cerca de 4 anos deve ser dispensado do comando do navio, disseram autoridades da Defesa nesta terça-feira (4).

Um oficial da Defesa disse que o anúncio da perda do cargo do capitão Owen Honors do navio USS Enterprise pode ocorrer ainda nesta terça. Segundo o oficial, a Marinha americana já teria escolhido o militar que substituirá Honors no comando do navio de propulsão nuclear que está atualmente atracado em Norfolk, no estado da Virginia, e deve partir para uma missão no Oriente Médio ainda este mês.

Os vídeos com insultos a gays, simulação de masturbação e cenas de um banho entre casais do mesmo sexo, entre outros conteúdos, foram produzidos entre 2006 e 2007 e exibidos no circuito interno de TV do navio. O jornal local Virginian-Pilot divulgou os vídeos no domingo e postou um versão editada na sua versão on-line (clique aqui para ver, em inglês), causando constrangimento ao Pentágono.

O capitão, à época o segundo no comando da embarcação, não se pronunciou até o momento, nem respondeu às tentativas de entrevista por e-mail.

O comandante da Marinha, Chris Sims, divulgou um comunicado em que afirma que os vídeos ?não foram aceitos na época e não são pela Marinha de hoje.?

Comandantes e outros líderes ?são cobrados para dar exemplo e são responsáveis por definir o tom adequado de respeito às normas de coragem, honra e compromisso que esperamos que os marinheiros possam exemplificar", disse.

Segundo o comandante da Marinha, a frota iniciou uma investigação sobre as circunstâncias em que os vídeos foram feitos.

Em nota divulgada na sexta ao Virginia-Pilot, a Marinha afirmou que ?é lamentável que cópias desses vídeos tenham sido divulgadas por membros da tripulação, principalmente após o comando ter tomado ações há aproximadamente quatro anos para assegurar que nenhum vídeo semelhante fosse produzido?.

A nota também diz que os vídeos ?se destinavam a ser esquetes humorísticos para chamar a atenção do grupo em questões específicas, como visitas a portos, segurança no tráfego, conservação de água, limpeza de navios etc?.

Don?t ask, don?t tell

Para o ex-oficial de carreira da Marinha e atual professor da Universidade de Boston, Michael Corgan, Honors deve ser demitido do cargo ?não apenas por um erro de julgamento, mas por não ter reconhecido uma mudança na cultura da Marinha?.

O ex-oficial lembra que a força sofreu algumas mudanças culturais na última década, após ter sido exposta a alguns escândalos, e hoje trabalha para acomodar gays em suas fileiras ? com a revogação da política ?Don?t ask, don?t tell? (?Não pergunte, não conte?) no Congresso americano. Além disso, a Marinha passou a aceitar mulheres na sua frota de submarinos.

"Saturday Night Live"

Alguns marinheiros, no entanto, tem defendido Honors e seus vídeos no Facebook. ?Ele é um profissional dedicado e, sim, tem senso de humor, mas você precisa disso num navio?, postou Misty Davis, que serviu no USS Enterprise entre 2006 e 2010.

?Não é pior do que qualquer coisa que você vê em programas como `Saturday Night Live" or `The Family Guy??, disse o militar sobre os vídeos. ?Eu vi todos os vídeos, são muito engraçados.?

Fonte: Globo, www.globo.com