Militares britânicos são detidos por suposto crime no Afeganistão

Os sete presos são de uma unidade de elite dos Royal Marines.

Sete soldados de uma unidade de elite dos Royal Marines britânicos foram detidos como suspeitos de um suposto assassinato após um "confronto com um insurgente" durante uma missão no Afeganistão em 2011, anunciou o Ministério da Defesa em Londres.

As detenções foram anunciadas na noite desta quinta-feira (11) em um comunicado no qual foi indicado que o caso está nas mãos da justiça militar.

É a primeira vez que militares britânicos são detidos por um caso de assassinato desde que teve início a intervenção da coalizão internacional no Afeganistão, no final de 2001, indicou nesta sexta-feira um porta-voz do ministério.

"O incidente foi registrado após um enfrentamento com um insurgente. Não houve civis envolvidos", ressaltou o comunicado.

"Estas detenções mostram a determinação do Ministério da Defesa e das Forças Armadas em garantir que os militares do Reino Unido atuem em conformidade com suas normas de combate e com nossos padrões", acrescentou.

Estas detenções de membros de uma unidade de elite do corpo de infantaria da Marinha britânica são "politicamente prejudiciais", considerou nesta sexta-feira (12) Michael Clarke, um especialista em questões de defesa e diretor geral do Royal United Services Institute (RUSI).

"Havia sem dúvida elementos que começavam a surgir e o Ministério da Defesa quis manter o controle da situação", acrescentou.

"Mas não há dúvida alguma de que é politicamente prejudicial, porque não estamos falando de um caso individual", disse.

"É um grupo de marines, que são muito bem treinados, e falando em termos gerais, os marines têm uma educação melhor do que as outras unidades de infantaria", acrescentou.

Segundo as normas de combate, "os militares só podem abrir fogo contra alguém se esse alguém representar uma ameaça para eles ou se acreditarem que esse alguém está envolvido em uma ação hostil, como colocar uma bomba", explicou.

O Reino Unido tem o segundo maior contingente estrangeiro no Afeganistão depois dos Estados Unidos, com cerca de 9.500 soldados mobilizados como parte da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan, a maioria na província de Helmand, no sul.

As tropas britânicas sofreram 433 baixas no Afeganistão desde o início do conflito, incluindo 36 este ano.

Fonte: G1