Morre mais um aluno atingido por colega em tiroteio em escola dos EUA

A TV local WKYC mostrou imagens que seriam do suspeito se rendendo, do lado de fora do prédio. Ele teria sido perseguido até o local por um professor

Um segundo estudante morreu, nesta terça-feira (28), vítima de um tiroteio em uma escola de Chardon, no estado americano de Ohio. Outros três estudantes estão feridos.

.A família do adolescente suspeito de ser autor do crime disse, por intermédio de seu advogado, que estava com dificuldade para entender o que havia acontecido.

O atirador abriu fogo no refeitório de uma escola ginasial perto de Cleveland na segunda-feira, antes de um professor persegui-lo no local. Ele acabou se entregando e sendo preso.

Daniel Daniel Parmertor, de 16 anos, morreu na segunda-feira. Russel King Jr. teve morte cerebral declarada nesta terça, apesar de ainda ter batimento cardíaco, afirmou o administrador do gabinete do Centro Legista do Condado de Cuyahoga, Hugh Shannon..

O tiroteio na Chardon High School foi o pior em uma escola norte-americana em 11 meses e o pior em Ohio desde o fim de 2007, de acordo com o Centro Brady de Prevenção à Violência Armada.

O atirador suspeito não foi formalmente identificado pela polícia. Estudantes, pais e a mídia local, porém, identificaram-no como T.J. Lane, um aluno de uma escola para jovens em risco, cuja família disse que estava em choque pelos eventos e pediu privacidade.

Lane não foi imediatamente acusado.

Todo o distrito escolar foi fechado na segunda-feira e continuará fechado na terça-feira, enquanto a comunidade tenta entender o que aconteceu.

"Queremos que eles fiquem em casa e passem algum tempo refletindo em família", disse um emocionado Joseph Bergant, superintendente das escolas de Chardon.

Dois dos quatro estudantes feridos foram levados ao hospital de Cleveland, MetroHealth, em estado crítico, de acordo com o chefe da Polícia de Chardon, Tim McKenna.


Morre mais um aluno atingido por colega em tiroteio em escola dos EUA

A TV local WKYC mostrou imagens que seriam do suspeito se rendendo, do lado de fora do prédio. Ele teria sido perseguido até o local por um professor.

O suspeito portava um rifle calibre 22 e uma faca, segundo a emissora.

Após o tiroteio, houve pânico, e alunos e funcionários foram retirados da escola, que foi fechada.

Muitos pais de alunos se dirigiram à escola, depois de serem informados do ataque, para saber como estavam seus filhos.

A aluna Danielle Samples, de 16 anos, disse que estava no café quando ouviu uma série de estampidos e alguém gritou para que todos se protegessem. Ela então ouviu mais estampidos.

"A ficha ainda não caiu", disse ela. "É muito surreal."

Fonte: G1