Mulher admite ter sufocado seus oito bebês

Mulher admite ter sufocado seus oito bebês

A mãe afirmou durante os interrogatórios que o marido não estava a par das gestações.

A francesa suspeita de matar oito filhos recém-nascidos foi indiciada nesta quinta-feira. Dominique Cottrez, 45 anos, reconheceu ser a mãe dos bebês, cujos corpos foram encontrados nos últimos dias em dois locais distintos no vilarejo de Villers-au-Tertre, no norte da França.

Ela também admitiu ter sufocado os oito recém-nascidos, disse o procurador de Douai, Éric Vaillant.

"Ela afirmou que não queria mais ter filhos e disse que não queria consultar um médico para utilizar meios contraceptivos", afirmou o procurador.

A mãe afirmou durante os interrogatórios que o marido não estava a par das gestações.

Autópsias

Os crimes, segundo os primeiros elementos da investigação, teriam sido cometidos entre 1989 e 2006. Segundo o procurador, somente as autópsias revelarão as datas exatas do nascimento dos bebês. Esse pode ser o maior caso de infanticídio na França, de acordo com a imprensa do país.

A mãe foi indiciada por homícidio voluntário cometido contra menor de idade, segundo a Procuradoria de Douai, no norte da França. Ela pode ser condenada à prisão perpétua.

O pai, Pierre-Marie Cottrez, 47 anos, vereador da câmara municipal do vilarejo de 700 habitantes, poderá ainda ser indiciado por não ter denunciado os crimes e por posse de cadáveres, afirmou o procurador.

A procuradoria de Douai solicitou a detenção provisória da mãe e a libertação do pai.

Peso

O excesso de peso da mãe, que trabalha como auxiliar de enfermagem, teria contribuído para dissimular a gravidez. Ela teria cerca de 130 kg, segundo a imprensa francesa.

O casal tem duas filhas que têm cerca de 20 anos e também moram no vilarejo.

As mortes foram descobertas quando os novos proprietários de uma casa em Villers-au-Tertre faziam obras no jardim para construir um lago e encontraram, no último sábado, dois esqueletos embalados em sacos plásticos enterrados no local.

Eles alertaram a polícia, que localizou os antigos moradores do local, Dominique e Marie-Pierre Cottrez. A casa pertencia à família da mãe dos bebês.

Os outros seis corpos foram encontrados na garagem da nova residência do casal, situada a apenas 1 km da primeira onde foram descobertos os dois esqueletos.

Cães

A polícia utilizou cães farejadores para localizar os corpos dos bebês. As operações de buscas foram realizadas até a noite de quarta-feira.

O caso, revelado à imprensa apenas na quarta-feira, chocou a França, sobretudo os moradores do pequeno e calmo vilarejo de Villers-au-Tertre.

O casal é descrito pelos moradores como pessoas "comuns, solícitas e educadas, que não indicavam nenhum comportamento anormal".

Outros casos de infantícidio abalaram recentemente a França. Em março passado, Céline Lesage, 38 anos, foi condenada a 15 anos de prisão por ter estrangulado seis bebês recém-nascidos entre 2000 e 2007.

Outro caso famoso de infanticídio na França é o do casal Courjault. A mãe foi condenada em junho do ano passado a oito anos de prisão por ter matado três recém-nascidos. Um deles foi morto em 1999 na França e, os outros dois, em 2002 e 2003, na Coreia do Sul.

Os cadávares dos dois bebês foram encontrados no congelador do apartamento que o casal morava em Seul.

Nesses dois casos mais antigos, os maridos não foram condenados porque ficou comprovado que eles ignoravam que a mulher havia ficado grávida e não estavam a par das mortes.

Fonte: Terra, www.terra.com.br