Mulher que nasceu com doença rara que a deixava com corpo e mente de bebê morre aos 20 anos

Mulher que nasceu com doença rara que a deixava com corpo e mente de bebê morre aos 20 anos

Ela tinha todas as aparências de bebê, incluindo os dentes, e não sabia falar

Uma mulher que nasceu com uma doença genética rara que a mantinha parecendo uma criança morreu aos 20 anos de idade. Brooke Greenberg permaneceu fisicamente e cognitivamente semelhante a uma criança, com a idade mental estimada entre nove meses a um ano. A causa da morte ainda é desconhecida.

A jovem tinha todas as aparências de bebê, incluindo os dentes, e não sabia falar. Os médicos não sabiam explicar a causa do problema. O pai de Brooke disse que nos primeiros quatro anos ela mudou, ficando um pouco maior, mas depois parou de crescer.

Ela foi examinada pelas melhores instituições médicas nos Estados Unidos, porém não conseguiram um diagnóstico formal, e começaram a tratar como Síndrome X.

Mulher que nasceu com condição raríssima que a deixava com corpo e mente de bebê morre aos 20 anos

O Dr. Eric Schadt, diretor do Instituto de Icahn de Biologia Genômica e Multiscale no Mount Sinai Medical Center, em Nova York, explicou que ela não tem anormalidade aparente em seu sistema endócrino, nem anormalidades cromossômicas brutas, ou qualquer uma das outras interrupções conhecidos que ocorrem em humanos e que podem causar problemas de desenvolvimento.

Brooke era alimentada através de um tubo inserido em seu estômago, porque o seu esôfago era tão pequena que o alimento ingerido poderia agredir seus pulmões e causar-lhe complicações. Os cientistas acreditam que seu código genético único poderia fornecer uma visão nova sobre o processo de envelhecimento, levando ao desenvolvimento de novos tratamentos para doenças relacionadas à idade, como mal de Parkinson. Testes mostraram que Brooke, que nasceu em 1993, pode ter sofrido de uma mutação genética que desliga a sua capacidade de envelhecer.

A mãe costumava contar os anos de Brooke em meses, e assim dizia que ela tinha 20 meses de vida. O caso de Brooke, embora seja extremamente raro, não é o único. Há outros dois exemplos de indivíduos com situações muito semelhantes, e nenhum deles foi resolvido.

Fonte: Daily Mail