Nova biografia afirma que Michael Jackson teria morrido virgem

"Untouchable" afirma que cantor pop vivia em "estado especial de solidão". Entretanto, livro de Randall Sullivan não traz evidências sobre o assunto

Uma nova biografia sobre o cantor Michael Jackson apresenta uma teoria de que o cantor morreu virgem. Trechos do livro "Untouchables", de Randall Sullivan, foram publicados pelo site do jornal "The New York Times" nesta segunda-feira (12) trazendo a opinião do autor a respeito do assunto.

"De todas as respostas que alguém pode dar sobre a pergunta central envolvendo a memória de Michael Jackson, a que tem mais apoio das evidências é a de que ele morreu como um virgem de 50 anos, tendo nunca feito sexo com nenhum homem, mulher ou criança, em um estado especial de solidão que é responsável em grande parte por ele ter se tornasse único enquanto artista e tão infeliz enquanto ser humano", afirma Sullivan na publicação.

Como apontado pelo jornal, entretanto, "Untouchables" não dá nenhuma prova ou pista que comprove a teoria, que é baseada especialmente nos depoimentos do advogado Tom Mesereau, que em 2005 ajudou Jackson a ser inocentado de todas as acusações de ter abusado sexualmente de crianças.

O "New York Times" também critica a biografia por não trazer novidades a respeito da trajetória da estrela pop, repetindo temas já vastamente abordados em outros livros e programas de TV sobre Jackson.

Fonte: G1