Obama anuncia plano de ataque aéreo para destruir Estado Islâmico

O presidente dos Estados Unidos ressaltou que o objetivo da missão é “destruir” o Estado Islâmico.

Na noite desta quarta-feira, 10, Barack Obama anunciou o plano de empreender campanha aérea para destruir grupo extremista Estado Islâmico, que está atualmente na Síria e no Iraque.


— Esta campanha contra o terrorismo vai ser travada por meio de um esforço incansável para tirar o Estado Islâmico de onde quer que ele esteja, utilizando nosso poder aéreo e o apoio terrestres de forças aliadas — afirmou Obama, em pronunciamento de 15 minutos à nação às vésperas do aniversário de 13 anos dos atentados de 11 de Setembro.

O presidente dos Estados Unidos ressaltou que o objetivo da missão é “destruir” o Estado Islâmico.

— Nosso objetivo é claro: vamos reduzir e, finalmente, destruir o Estado Islâmico por meio de uma estratégia abrangente e sustentada de contraterrorismo.

O presidente americano ressaltou que o grupo não é reconhecido por nenhum governo. E afirmou que enviará mais 475 estrategistas para atuar em conjunto com as forças de defesa do Iraque.

Obama, porém, tentou diferenciar a ação das últimas guerras em que o país se envolveu (os Estados Unidos deixaram o país há cerca de três anos).

— Não haverá tropas americanas combatendo em solo estrangeiro.

O discurso foi ainda uma forma de buscar uma coalizão internacional com o intuito de combater o grupo extremista.

Poucas horas antes do anúncia da coalizão, o presidente norte-americano, Barack Obama, autorizou o envio de R$ 57 milhões (25 milhões de dólares) em "assistência militar imediata" nesta quarta-feira (10) para o governo iraquiano e para o governo regional do Curdistão para auxiliar com educação e treinamento militar, de acordo com um memorando postado no website da Casa Branca.

Obama recebeu na terça-feira (9) na Casa Branca os líderes do Congresso e comunicou que espera apoio, mas não necessita de autorização para implementar seu plano.

Forças aéreas americanas iniciaram em 8 de agosto bombardeios seletivos contra posições de EI em diversas zonas do Iraque para conter a ofensiva jihadista.

EUA anunciam R$ 110 milhões em ajuda humanitária para Iraque

Americana se declara culpada de conspiração para ajudar rebeldes islâmicos

Desde então, os EUA efetuaram mais de 130 ataques perto das estratégicas represas de Haditha e Mossul, e nos arredores de Erbil, capital do Curdistão iraquiano.

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

Fonte: R7