Terroristas são presos por suspeita de envolvimento no sumiço do voo 370

Suspeitos teriam entre 22 e 55 anos e foram presos em Kuala Lumpur

A teoria de que o desparecimento do voo MH-370 da Malaysia Airlines foi parte de um ato terrorista ganhou força após jornais ingleses noticiarem a prisão de terroristas ligados a Al Qaeda por suspeita de envolvimento no sumiço do avião.

De acordo com o jornal The Independent, os 11 suspeitos teriam entre 22 e 55 anos e foram presos na última semana para interrogatório em Kuala Lumpur, capital da Malásia, e também no estado de Kedah.

Conforme noticiado pela mídia britânica, investigadores do FBI (Escritório federal dos EUA para investigação, tradução livre) e do MI6 (Serviço secreto de inteligência do Reino Unido) teriam convocado militantes islâmicos na Malásia para serem interrogados. O grupo faria parte de uma nova organização terrorista ligada a Al Qaeda no país.

Um oficial da Divisão de Contraterrorismo da Malásia confirmou que a prisão dos supostos radicais reforçou a suspeita de que o desaparecimento do MH-370 fez parte de um ataque terrorista.

?A possibilidade de que o avião foi desviado por militantes ainda está no topo da lista e investigadores internacionais pediram um relatório abrangente sobre este novo grupo terrorista.

O oficial malaio alegou ainda que durante interrogatórios alguns suspeitos admitiram o planejamento da ?campanha de terror? na Malásia, mas ninguém chegou a reconhecer formalmente o envolvimento no sumiço do Boeing 777.

Investigação

A Malásia segue investigando o ocorrido com o avião. Nesta semana nomeou um ex-chefe da aviação civil para dirigir uma investigação que incluirá membros de agências de aviação estrangeiras, incluindo a americana.

A publicação do relatório investigadtivo na última quinta-feira (1) não incluiu nenhuma informação sobre uma investigação separada da polícia malaia, que analisa se poderia se tratar de um ato criminoso ou de uma ação terrorista.

O governo malaio, muito criticado por sua resposta inicial à catástrofe, considerada caótica, tem mantido silêncio sobre os avanços da investigação.

O voo MH-370 da Malaysia Airlines desapareceu no dia 8 de março quando cobria a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, com 239 pessoas a bordo.

Os investigadores acreditam que o avião caiu no oceano Índico, mas a aeronave não foi encontrada até agora.

Fonte: r7