Pai e filha condenados por incesto reatam o romance e vão presos na Inglaterra

Pai e filha condenados por incesto reatam o romance e vão presos na Inglaterra

Pela retomada da relação proibida, Andrew foi condenado a dez meses de prisão.

Durante 14 anos, Andrew Butler, 47, esteve afastado da filha, Nicola, hoje com 26 anos. Mas, ao se reencontrarem, eles já não eram mais "pai e filha". E fizeram sexo consensual.

O caso de incesto aconteceu em Birmingham (Inglaterra). Nicola conseguiu achar o pai por meio do site Genes United, em 2004. Ela não via Andrew desde 1990, quando ele se separou da primeira esposa, que o acusava de violência.

De acordo com Liz de Oliveira, advogada de Nicola, o reencontro entre a sua cliente e Andrew "ultrapassou as barreiras e acabou em uma relação sexual".

Em 2007, os dois admitiram o caso de incesto e foram punidos. Os dois tinham sido descobertos na cama por um filho de 7 anos de Andrew. Ele contou o que vira para a mãe, que, por sua vez, denunciou o caso à polícia.

Andrew pegou quatro meses de cadeia, e Nicola recebeu pena de 18 meses de serviço comunitário.

Recaída

Um ano depois, Nicola se mudou para a casa de Andrew. Para a família, a jovem disse que se tratava de um namorado, sem revelar a identidade.

Natalie, irmã de Nicola, descobriu no celular desta, meses depois, fotos de sexo explícito do casal. Ao mostrar para a mãe as imagens, a mulher reconheceu Andrew.

O casal incestuoso foi detido em um flat em setembro do ano passado. Agentes apreenderam um laptop com muitas imagens de sexo explícito de Nicola e Andrew e cartas de amor entre os dois.

Pela retomada da relação proibida, Andrew foi condenado a dez meses de prisão. A filha recebeu pena de dois anos de detenção.

Fonte: O Globo