Pai fica cinco anos preso injustamente  após sacudir sua filha que estava engasgada; veja

Pai fica cinco anos preso injustamente após sacudir sua filha que estava engasgada; veja

O inglês Ben Gray ficou preso durante cinco anos até conseguir provar a sua inocência

Tudo ia bem na vida dos ingleses Ben, 33 anos, e Jennie, 32. O casal estava feliz com o nascimento da primeira filha, Ellie. Até que, em feveireiro de 2007, Jennie deixou a bebê com Ben durante uma noite. ?Ele sempre foi um pai protetor, não tive receio de pedir a ele que cuidasse de nossa filha?, disse ela.

?Eu tentei alimentar Ellie, mas ela não quis, então, eu a coloquei em seu assento de carro no chão perto de mim. Ela parecia bem e, por isso, eu comecei a jogar no computador. Quando olhei para baixo, vi que os pequenos braços de Ellie estavam soltos?, disse Ben.

Assim que olhou para a filha, Ben percebeu que ela estava branca e mole e seu peito fazia um barulho esquisito, como se estivesse lutando para respirar. ?Então, eu comecei a gritar para o meu colega de quarto chamar o resgate, enquanto eu fazia respiração boca a boca e tudo que pudesse para salvar Ellie. Enfiei o dedo dentro de sua garganta e, de repente, ela engasgou e começou a respirar novamente?, conta Ben.

Assim que chegou ao hospital, os médicos limparam as vias aéreas da criança e fizeram outros exames que constataram lesões na cabeça de Ellie. Ben, então, foi acusado de lesão corporal grave e crueldade.

Jennie disse que já havia notado que a bebê, às vezes, tinha problemas respiratórios. Os médicos e uma parteira disseram que ela não havia quebrado nada e que não tinha características de um bebê que apanhou.

Algumas assistentes sociais aconselharam Jennie a colocar a culpa em Ben para ter a guarda da filha de volta. "Eu não podia fazer isso com Ben. Tive, então, que arrumar as coisas da minha filha e entregá-la aos meus pais a pedido da Justiça. Por isso, perdi todos os marcos do desenvolvimento, o primeiro sorriso, os primeiros passos?, diz Jennie.

Enquanto esperava o julgamento, o Tribunal de Família determinou que Ben poderia ver Ellie duas vezes por ano, durante quatro horas, enquanto Jennie poderia estar com Ellie seis vezes por ano, durante duas horas.

Ben foi condenado a 18 meses de prisão e dividiu a cela com pedófilos. Três meses depois, conseguiu ser libertado por meio de um recurso e não podia mais esperar para ver a sua menina novamente. Agora, Ellie estava vivendo com os pais de Jennie. "Eu tinha permissão para ver minha filha, mas ela nem sabia quem eu era - era de partir o coração?, diz Ben.

Ele e Jennie voltaram a viver juntos e ela ficou grávida novamente. Como Ben estava com liberdade provisória, o serviço social não poderia saber dessa nova gestação. Mas quando Izzy, a filha caçula do casal, estava com seis semanas, alguém denunciou a família.

"Eu estava dirigindo na estrada quando seis carros de polícia começaram a me perseguir e foi acusada de negligência infantil. Não pude sequer me despedir de Izzy?, desabafa Jennie.

A bebê foi encaminhada para um orfanato e Ben preso novamente. Após muitas tentativas, ele, finalmente, foi solto em 2010, mas ainda teve que lutar durante dois anos para recuperar a guarda das filhas.

Ben agora espera que as filhas se sintam parte de sua família novamente. ?O meu medo é que nunca mais possamos nos sentir como uma família de verdade novamente?.

Fonte: Crescer