Papa Francisco cita "luzes e sombras" em sua primeira Missa do Galo na Basílica de São Pedro

Papa Francisco cita "luzes e sombras" em sua primeira Missa do Galo na Basílica de São Pedro

O Papa pronunciou uma homilia sobre o significado do nascimento de Jesus para os cristãos.

O Papa Francisco presidiu nesta terça-feira, antes da meia-noite, e diante de milhares de fiéis, sua primeira Missa do Galo, na Basílica de São Pedro, durante a qual citou os excluídos e pediu que os católicos não temam um mundo marcado por "luzes e sombras".

A tradicional missa começou às 20H30 GMT e durou menos de duas horas. O Papa pronunciou uma homilia sobre o significado do nascimento de Jesus para os cristãos.

Com o rosto sério, o Papa entrou na basílica em procissão, seguido pelos concelebrantes: 30 cardeais, 40 bispos, 250 sacerdotes e 14 diáconos.

Na cerimônia, transmitida ao vivo para 65 países, Francisco pediu uma reflexão sobre "as luzes e trevas" que afetam o mundo.

"Também em nossa história pessoal, alternam-se momentos luminosos e obscuros, luzes e sombras. Se amamos Deus e os irmãos, caminhamos na luz, mas se nosso coração se fecha, se prevalecem o orgulho, a mentira, a busca do interesse próprio, então as trevas nos rodeiam, interiormente e por fora", advertiu.

"Esta noite, quando o espírito das trevas encobre o mundo, renova-se o acontecimento que sempre nos assombra e surpreende: o povo no caminho vê uma grande luz, Jesus veio nos libertar das trevas e nos dar a luz", explicou.

Francisco também lembrou "os últimos e os excluídos", prioridades de seu pontificado, iniciado há nove meses.

Os últimos e os excluídos

O Papa argentino lembrou que foram justamente os "últimos e excluídos" os primeiros que entenderam o alcance para a Humanidade do nascimento de Jesus, considerado o filho de Deus pelos cristãos.

"Os pastores foram os primeiros que receberam o anúncio do nascimento de Jesus. Foram os primeiros porque estavam entre os últimos, os marginalizados", disse o Papa em sua breve homilia, entre as mais importantes para os católicos.

Aos milhares de peregrinos e turistas que assistiram à missa solene no maior templo do catolicismo, Francisco pediu que não temam, porque "nosso Pai tem paciência conosco, nos ama, é a luz que dissipa as trevas".

Após a eucaristia, o sumo pontífice colocou a imagem do menino Jesus em um presépio montado dentro da basílica, e um grupo de 10 crianças, representando os cinco continentes, depositou flores em homenagem à encarnação de Deus, segundo os cristãos.

Fonte: msn