Papa sugere camisinha para prostitutas e prostitutos

Vaticano reafirmou declaração inédita de Bento 16 a livro de entrevistas

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, esclareceu que o papa Bento 16 tinha em mente tanto homens como mulheres ao aceitar, segundo o livro lançado oficialmente nesta terça-feira (23), o uso de preservativos para evitar a propagação da aids através da prostituição.

O texto original em alemão do livro de entrevistas Luz do Mundo, com Bento 16, no qual o papa justifica em "alguns casos" o uso do preservativo, fala de "prostituto" e não de "prostituta", como foi traduzido por erro na versão italiana.

No texto alemão, aprovado pelo pontífice, o chefe da Igreja católica considera que, em "alguns casos", o uso do preservativo está justificado e dá como exemplo "quando um prostituto utiliza um profilático".

O erro na tradução para o italiano, cujos trechos foram divulgados pelo jornal da Santa Sé, L" Osservatore Romano, será corrigido nas próximas edições, segundo fontes eclesiásticas.

O padre Lombardi confirmou que houve esse erro de tradução, mas acrescentou: "Que se trate de um homem, uma mulher ou um transexual prostitutos, é a mesma coisa: a mensagem é que é preciso evitar colocar em risco a vida do outro, um primeiro passo responsabilidade".

Para o papa, gays não podem ser padres

No mesmo livro, o papa Bento 16 diz que a homossexualidade é injusta, opõe-se à vontade de Deus e é inconciliável com a vocação sacerdotal.

- Enquanto seres humanos [os homossexuais] merecem respeito. Não devem ser rejeitados por causa disso. O respeito ao ser humano é fundamental e decisivo. Mas isto não significa que a homossexualidade seja justa. Ela permanece como qualquer coisa que se opõe à essência mesma do que Deus quis na origem.

Bento 16 diz de forma mais específica no livro, considerando que a "homossexualidade não é conciliável com a vocação sacerdotal".

- Correríamos um grande risco de fazer do celibato uma espécie de pretexto para fazer entrar no sacerdócio pessoas que não podem se casar.A seleção de candidatos ao sacerdócio deve, então, permanecer muito atenta. É preciso o maior cuidado para evitar uma confusão deste tipo fazendo com que o celibato dos padres seja, por assim dizer, assimilado à tendência à homossexualidade.

Fonte: R7, www.r7.com