Paquistanês mata filha, genro e netos porque casamento foi por amor; veja

Jovem havia se casado há cinco anos contra a vontade da família.

Um homem matou sua filha, genro, dois netos e outros dois parentes no leste do Paquistão para se vingar da afronta da jovem que decidiu se casar por amor contra a vontade da família, informaram à Agência Efe nesta terça-feira fontes policiais.

O fato ocorreu na aldeia Tara Singh, no distrito rural de Dipalpur e muito próximo da fronteira indiana, quando o suposto agressor aproveitou para fazer sua vingança durante a primeira visita de sua filha desde que ela fugiu com o marido há cinco anos.

Após saber que a jovem tinha retornado à aldeia, o pai, identificado pela polícia como Shokat Ali, saiu junto com seis vizinhos em busca daquela que considerava como a razão de sua desonra e após reconhecê-la na rua abriu fogo.

Além da jovem, os dois filhos do casal, o marido e dois irmãos dele que os acompanhavam morreram, segundo o responsável pela investigação policial, Mohammed Nawaz, que reconheceu que ainda não foi feita nenhuma prisão pelo caso.

Os chamados "crimes de honra" são muito frequentes no sul da Ásia e costumam envolver os homens de uma família que se vingam daquilo que consideram uma afronta que transgride a moral familiar conservadora das sociedades locais.

Um especialista europeu em temas de gênero estabelecido há anos no Paquistão explicou à Efe que muitos homens do subcontinente indiano acreditam que "a honra dos homens está no corpo das mulheres" e que ela deve ser defendida a qualquer preço.

Segundo a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão (HRCP), quase mil mulheres - 100 delas menores - morreram no ano passado no país por "crimes de honra", mas o organismo alertou que o número pode ser maior porque muitos casos passam despercebidos.

Um dos casos recentes ocorreu há um mês na cidade de Chilas, quando um jovem matou duas meia-irmãs de 17 e 20 anos e a mãe delas depois que as jovens foram filmadas com um telefone celular enquanto brincavam na chuva.

O agressor, segundo a polícia, considerou uma grave desonra que duas mulheres de sua família fossem vistas pulando e brincando sob a chuva em um vídeo por vários moradores da região.

Fonte: G1