Para 70% dos venezuelanos, eleições poderiam resolver problemas no país

A pesquisa, realizada de 21 a 30 de março com base em 1.200 entrevistas, tem margem de erro de mais ou menos 2,37%.

Segundo uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (7) pelo jornal El Universal, 70% dos venezuelanos acreditam que as eleições são o caminho para resolver a crise, e 72% consideram que a situação no país é negativa.

A enquete, realizada pelo IVAD (Instituto Venezuelano de Análise de Dados), indicou que a maioria da população "considera que as eleições ainda constituem a via idônea para resolver a atual conjuntura".

Entre os que consideram que é preciso buscar uma saída para a situação atual, 32% são a favor de convocar uma Assembleia Constituinte e 33% defendem um referendo sobre a permanência do presidente Nicolás Maduro quando o governante tiver completado metade do mandato, como estabelece a Constituição.

Já para 32% dos venezuelanos a solução seria esperar o fim do atual mandato. De acordo com a pesquisa, 50% da população acredita que os protestos das últimas semanas são manifestações pacíficas lideradas por estudantes reivindicando uma melhor segurança e solução para a crise econômica, enquanto 12,8% vê as manifestações como parte de um plano para se aplicar um golpe de Estado, o que é sustentado pelo governo.

A pesquisa, realizada de 21 a 30 de março com base em 1.200 entrevistas, tem margem de erro de mais ou menos 2,37%. De acordo com as entrevistas, 55,3% dos venezuelanos não concordam que a oposição siga convocando marchas, enquanto 42,4% defendem as mobilizações.

No entanto, deste grupo 68% acredita que se deve protestar pacificamente; 28,9% considera que se deve realizar manifestações até que Maduro renuncie e 2,4% até que ocorra um golpe de Estado.

O presidente da Assembleia Nacional, o chavista Diosdado Cabello, é percebido de maneira desfavorável por 62,4% dos entrevistados e de forma favorável por 28,5%. Já Maduro é visto de forma positiva por 37,4% e desfavorável por 56,5%.

Na oposição, quem tem melhor imagem é Leopoldo López (46,5% favorável e 43,6% negativa), seguido pelo ex-candidato presidencial Henrique Capriles (45,9% positivo e 45,8% desfavorável). A opositora María Corina Machado tem uma imagem favorável para 36,4% e desfavorável para 50,1%.

Fonte: r7