Pena de brasileiro preso nos EUA pode chegar a cinco anos, diz FBI

Pena de brasileiro preso nos EUA pode chegar a cinco anos, diz FBI

Estudante é acusado de enviar emails com ameaça sobre avião.

O sorocabano Francisco Fernando Cruz, detido no dia 9 de janeiro em Miami, nos EUA, por suspeita de enviar e-mails à polícia e à TAM Linhas Aéreas com ameaças de bomba em um avião, prestará depoimento à polícia pela primeira vez nesta terça-feira (14), em uma audiência chamada de pré-julgamento. Fernando será ouvido por um juiz federal no Centro de Detenção Federal de Miami, onde está detido. A segunda audiência será no dia 24. Se for condenado, o estudante, de 22 anos, pode pegar uma pena máxima de cinco anos de prisão, além de pagar multa de US$ 250 mil.

O FBI (Federal Bureau of Investigation) publicou a queixa na segunda-feira (13) em seu site. Segundo a publicação, Francisco, que mora nos EUA há dois anos, enviou no dia 8 um e-mail ao Departamento de Polícia de Miami MDPD) e à TAM Linhas Aéreas alertando sobre a existência de uma bomba em um avião da empresa. A mensagem dizia: "Flight must not take off. Targeted. It will go down. Retaliation. Cargo is dangerous. Be advised" (Voo não deve decolar. Marcado. Vai cair. Retaliação. Carga é perigosa. Estejam avisados).

O voo em questão é o de número JJ8043, que partiria de Miami com destino a Brasília no dia 10. De acordo com a queixa apresentada, o primeiro email foi enviado na quarta-feira (8). Segundo o FBI, o Departamento de Polícia de Miami rastreou a origem da mensagem e concluiu que ela foi enviada de um computador na Montclair State University, em Montclair, Nova Jersey. A polícia teve acesso às imagens que mostram o terminal de computador usado para enviar a mensagem.

No dia 9, segundo a queixa apresentada, a mensagem foi enviada novamente. Fernando embarcou no mesmo dia em Nova York com destino a Miami, onde foi preso ao desembarcar. "O FBI e seus parceiros levam ameaças desta natureza muito a sério", disse o agente Michael B. Steinbach ao site.

Em nota, a assessoria da TAM Linhas Aéreas afirmou que foi notificada pelas autoridades do EUA sobre a suposta presença de bombas a bordo de uma de suas aeronaves. ?Para garantir a segurança dos clientes e da tripulação, a companhia, como já fez em outras circunstâncias de alarme falso, reforçou a inspeção de todas as cargas despachadas, assim como aos passageiros?, diz a nota. Ainda segundo a TAM, após investigações, foi confirmada que a ameaça era falsa. "Nenhum risco foi detectado à segurança do voo JJ8043. A aeronave decolou normalmente na sexta-feira (10), no horário previsto", completa a nota.

"A segurança pública de quem viaja é fundamental, e quaisquer ameaças feitas para perturbá-la serão investigadas sem impunidade", declarou JD Patterson, diretor do MDPD.

A mãe do estudante, Cláudia Cruz, diz que está desesperada por não conseguir falar com o filho há cinco dias. "Eu quero que seja resolvido esse mal entendido. Muitos frequentam a faculdade, então, não acho que tem sentido acusar o menino por um e-mail dizendo que foi ele quem enviou. Acho que estão pegando um pouco pesado dizendo que ele é um terrorista. Quero saber se foi ele quem escreveu esse e-mail. Quero que me provem isso", desabafa.

A publicação no site do FBI destaca que a queixa é apenas uma acusação, e que os envolvidos são considerados inocentes até prova em contrário.

Fonte: G1