Pivô de escândalo sexual de Berlusconi anuncia que vai se casar

Pivô de escândalo sexual de Berlusconi anuncia que vai se casar

Casamento será daqui três semanas, disse a marroquina Ruby, de 18 anos

A jovem dançarina marroquina Karima El Mahroug, conhecida como Ruby Rubacuori ("rouba corações") e envolvida em um caso de prostituição de menores que teria tido a participação do premiê da Itália, Silvio Berlusconi, anunciou nesta quarta-feira (2) que vai se casar daqui a três semanas.

Em entrevista publicada pela edição genovesa do jornal "Repubblica", Ruby, que completou 18 anos em novembro, afirma que depois de se casar pretende "voltar a estudar, terminar o colégio e morar em Gênova".

Depois do matrimônio civil, a jovem, filha de imigrantes marroquinos que vivem na Sicília, quer se casar na igreja com seu noivo Luca Rizzo, gerente de uma discoteca de 41 anos.

A jovem afirma que não está preocupada com a investigação de Berlucosni, destacando que apenas será "testemunha", já que a lei a considera uma vítima, antes de acrescentar: "Quero que termine logo esse processo."

Quando foi perguntada sobre o que pensava do caso, respondeu: "Não sei, não é problema meu".

Quanto à suposta existência de um "harém" em torno de Berlusconi, explicou: "Ele está sozinho e combate a solidão, um pouco como eu fiz quando paguei para receber carinho de meu pai (enviando dinheiro para ajudá-lo). Berlusconi recorre às mulheres".

Além da suspeita de utilização dos serviços sexuais remunerados de Ruby quando ela era menor, o que constitui um crime na Itália, Berlusconi é acusado de abuso de poder por ter se usado de sua posição de chefe de governo para liberar a jovem da prisão em maio, depois de ela ter sido detida por roubo.

Segundo a investigação, Ruby teria participado de festas libertinas organizadas nas residências do Cavaliere com dezenas de outras jovens.

Na entrevista, Ruby reclamou ainda dos jornalistas por continuarem a escrever que ela é uma "escort girl" (prostituta), dizendo que "ao menos deveriam acrescentar "suposta"".

Ruby e Berlusconi negaram terem mantido relações sexuais e afirmam que as festas eram normais e não orgias, como levam a crer as gravações telefônicas divulgadas pela imprensa.

Ainda, a jovem ressaltou que "se tivesse que fazer tudo de novo, não voltaria" como Ruby Rubacuori.

Fonte: g1, www.g1.com.br