Polícia afirma ter encontrado pistas sobre o motivo do massacre em escola nos EUA

Polícia afirma ter encontrado pistas sobre o motivo do massacre em escola nos EUA

Listada como a quinta cidade mais segura dos EUA, Newtown agora está em crise

Investigadores reuniram "evidências muito boas" para explicar o que levou um homem de 20 anos a matar a tiros 20 crianças e seis adultos numa escola infantil nos Estados Unidos, disse a polícia norte-americana neste sábado (15), um dia depois do massacre em Newtown, pequena cidade de Connecticut. Os oficiais não detalharam quais eram essas pistas.

O atirador, identificado como Adam Lanza, abriu fogo na manhã da sexta-feira (14) na escola Sandy Hook, onde estudam crianças de cinco a dez anos de idade. Ele matou 26 pessoas na escola antes de se suicidar no mesmo local.

A polícia confirmou hoje que, antes de cometer a chacina, o jovem matou uma mulher adulta dentro de sua própria casa. Em seguida, ele dirigiu cerca de 7 km até a escola e cometeu o massacre.

A mulher era ligada ao atirador, disse a polícia, que não confirmou a identidade da pessoa. Apesar, muitos veículos de imprensa estão dizendo que ela era Nancy Lanza, mãe do atirador.



"Nossas investigações na cena do crime produziram evidências muito boas", disse à imprensa o tenente Paul Vance, comandante da polícia de Connecticut.

O tiroteio atormentou a cidade de Newtown, listada como a quinta cidade mais segura dos EUA, mas que agora está em crise.

Um hospital abriu um centro para lidar com a crise na cidade a 130 km de Nova York.

No meio da manhã, cerca de 50 carros já estavam estacionados do lado de fora do hospital. Uma placa pedia para a imprensa se manter distante.

"Se isso puder ser cicatrizado, é isso o que eu quero pedir a Deus", disse Andrea Jaeger, que colocou uma vela num memorial para as vítimas em frente à escola.

? Vidas de crianças foram perdidas, e isso é algo que todos sentimos.

A tragédia levou o presidente Barack Obama às lágrimas na TV na sexta-feira e abalou um país que já viu outros ataques como esse, mas não com vítimas tão jovens. Também retomou o debate sobre a política de armas nos EUA.

"As crianças que morreram estavam em duas salas de primeira série (seis anos de idade)", contou a bibliotecária Mary Ann Jacob.

Paul Vance, da polícia, não quis descrever as evidências encontradas. Ele, porém, afirmou que o atirador forçou a entrada na escola.

O número de vítimas em Newtown superou o do ataque da escola Columbine, em 1999, no Colorado, quando dois adolescentes mataram 13 pessoas e depois se suicidaram.

O número de 28 mortos faz deste um dos piores massacres dos EUA.

A maior chacina em uma instituição de ensino norte-americana aconteceu em abril de 2007, na Universidade Virginia Tech, quando 32 pessoas foram mortas e várias ficaram feridas.

Os Estados Unidos já tiveram uma série de tiroteios em locais públicos este ano. Mais recentemente, um atirador abriu fogo em um shopping center do Oregon, matando duas pessoas, e depois se suicidou, na terça-feira.

O pior ataque ocorreu em julho passado, em uma sessão da meia-noite de um filme do Batman, no Colorado, onde 12 pessoas morreram.

Fonte: R7, www.r7.com