Político suíço oferece mulher e filha de amigo para canibais

Vereador publicou anúncios na internet e ofereceu mulher como escrava sexual

Hans Ulrich Rudel, vereador de Winterthur, na Suíça, é acusado de publicar anúncios na internet com fotos da mulher e da filha do amigo Peter Joachim, que conheceu em um encontro de simpatizantes do sadomasoquismo.

Junto com as fotos, Rudel escreveu que as mulheres procuravam um experiente mestre sádico e "carniceiro".

Ainda no anúncio, há frases como "também estamos interessadas em um homem que goste de carnificina e dolce (termo usado por Rudel para definir canibalismo)".

Das 20 respostas recebidas a partir dos anúncios, uma delas era de um policial disfarçado, que conseguiu chegar até Rudel e prendê-lo.

Em depoimento, Rudel contou à polícia que esperava que "alguém fosse tirar Patricia do caminho" e que a mulher do amigo iria se deixar levar sem saber que seria morta no final do encontro com o interessado escolhido por ele.

? Eu esperava que ela fosse pega por um carniceiro e nunca mais aparecesse.

Segundo o jornal britânico The Sun, Rudel teve a ideia para ajudar Peter, que estava se divorciando da esposa Patricia. Para Rudel, Patricia iria se envolver com um dos interessados, o que daria a guarda dos filhos para o amigo.

O julgamento de Rudel está marcado para a próxima quarta-feira (09) e, segundo o periódico britânico, é esperado que o caso revele mais sobre o mundo sadomasoquista europeu.

Essa não é a primeira vez que Rudel pode parar na cadeia: o vereador já passou dez anos preso por matar uma mulher em 1988. Rudel seguiu um "ritual" e matou a moça com um tiro antes de empalar (atravessar um objeto com um corpo) a jovem em um tronco de árvore.



Fonte: r7