Professora é banida das salas de aula por inventar câncer terminal

-Eu estou horrorizada e não consigo acreditar nisso - disse Kelly McDonnell, de 37 anos, mãe de um aluno de 8.

Nicola Lynne Hibberd, professora de uma escola primária na cidade de Mansfield, na Inglaterra, fez todos no trabalho acreditarem que ela tinha câncer terminal. A britânica de 44 anos recebeu apoio de colegas, pais de alunos e até mesmo das crianças para enfrentar a falsa doença. De acordo com o site ?Mail Online?, ela acabou banida das salas de aula quando a verdade foi descoberta.

Para sustentar a mentira, Nicola chegou a produzir falsas cartas de médicos. Um dos especialistas imaginários, Dr. Richard Baxter, disse em documento que a doença estava nos estágios finais e que a paciente precisava de tratamento imediato. A britânica usava a desculpa do câncer para faltar ao trabalho.

A farsa só foi descoberta quando o diretor da escola percebeu que uma das cartas que Nicola afirmava ser do médico parecia ter sido copiada do site Macmillan Cancer, organização de caridade de combate à doença. Ele ligou para o hospital, com a intenção de falar com a equipe que cuidava do caso de Nicola.

Só então descobriu que a tal equipe não existia.

Nicola foi demitida e condenada por conduta profissional inaceitável. Em audiência, ela não forneceu qualquer explicação sobre o motivo de ter inventado a doença. A professora foi proibida de dar aulas por tempo indeterminado, mas daqui a cinco anos poderá entrar com o pedido na Justiça para voltar a ensinar.

Pais de alunos e crianças ficaram chocados ao saber das mentiras da professora.

- Eu estou horrorizada e não consigo acreditar nisso - disse Kelly McDonnell, de 37 anos, mãe de um aluno de 8.


Professora é banida das salas de aula por inventar câncer terminal

Fonte: Extra