"Queria matar todo mundo da ilha", revela atirador da Noruega em júri

Anders Behring Breivik disse que queria matar e decapitar ex-premiê.

O ultradireitista Anders Behring Breivik afirmou nesta quinta-feira (19), no quarto dia de seu julgamento em Oslo, que seu objetivo era "matar todo mundo" no massacre da ilha de Utoeya, não apenas as 69 pessoas que acabaram morrendo.



"O objetivo era matar todo mundo", afirmou o extremista de 33 anos, acrescentando que ele também pretendia capturar a ex-primeira-ministra Gro Harlem Brundtland e decapitá-la ante uma câmera para postar o vídeo na internet.

Breivik, julgado pelas mortes de 77 pessoas não fez a sua habitual saudação extremista ao chegar ao tribunal em Oslo.

O advogado de defesa, Geir Lippestad, havia anunciado na véspera que pediria a Breivik renunciasse ao gesto de bater no peito e levantar o braço direito com o punho fechado, considerado uma provocação pelos familiares das vítimas.

Se for considerado penalmente responsável no julgamento, que deve durar 10 semanas e no qual é processado por atos de terrorismo, o extremista de 33 anos pode ser condenado a 21 anos de prisão, pena que pode ser prolongada indefinidamente se ele for considerado uma ameaça ao fim da pena.

Se os cinco juízes do tribunal de Oslo considerarem que Breivik não pode ser apontado como penalmente responsável, o réu deve ser internado em um hospital psiquiátrico.

Nos três primeiros dias do julgamento, Breivik fez a saudação, que segundo um manifesto publicado por ele na internet significa "a força, a honra e o desafio aos tiranos marxistas da Europa".

Fonte: G1