Rapaz suspeito de bombas em Boston confessa atentado e diz ter agido sozinho com irmão, diz TV

Rapaz suspeito de bombas em Boston confessa atentado e diz ter agido sozinho com irmão, diz TV

Rapaz confessa participação em atentado de Boston

Dzhokhar Tsarnaev, suspeito de ter realizado o atentado que resultou na explosão de duas bombas na Maratona de Boston na semana passada disse às autoridades que ele e seu irmão, Tamerlan Tsarnaev, agiram sozinhos, segundo informou nesta segunda-feira (22) a rede CBS.

De acordo com a emissora, fontes oficiais disseram que Dzhokhar forneceu a informação de sua cama no hospital onde está internado. Ainda de acordo coma s fontes, o suspeito está cooperando com as autoridades, que não encontraram evidência de ligação dos irmãos com grandes organizações terroristas.

Duas fontes informaram à Associated Press que as evidências apontam que os dois suspeitos agiram motivados pela religião.

Dzhokhar não consegue falar devido a um ferimento no pescoço, decorrente de um tiro. Por isso, ele tem se comunicado com as autoridades por escrito.

Dzohkhar foi formalmente indiciado nesta segunda-feira (22), mesmo estando internado no hospital Beth Israel Deaconess, em Boston. Ele foi indiciado por "uso e complô de utilização de uma arma de destruição em massa contra pessoas e bens dos Estados Unidos", além de "destruição voluntária de bens com artefato explosivo", segundo um comunicado do departamento de Justiça.

A acusação permite que Tsarnaev seja condenado à pena de morte ou prisão perpétua. Entretanto, a promotoria ainda não decidiu se pedirá a pena de morte.

A primeira audiência do caso foi fixada para 30 de maio, segundo a promotoria. Ainda não se sabe se o suspeito estará presente. O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, afirmou que Tsarnaev será julgado por um tribunal civil e não por um tribunal militar de exceção, como exigiam alguns congressistas republicanos.

"Ele não vai ser tratado como um combatente inimigo", Carney disse a repórteres em uma entrevista para a imprensa. "Vamos processar através do nosso sistema de justiça civil. Sob a lei dos EUA, cidadãos dos Estados Unidos não podem ser julgados em instâncias militares".

Os ataques a bomba na Maratona de Boston ocorreram na reta final da prova, no dia 15, e deixaram três mortos e cerca de 180 feridos. O irmão de Dzohkhar, Tamerlan, também era suspeito do atentado e foi morto pela polícia em um confronto na última sexta.

Ainda segundo o jornal "The Boston Globe", o agente do FBI Daniel Genck disse em uma declaração juramentada que Dzohkhar tinha mais lesões visíveis no corpo quando foi capturado do que o anunciado, incluíndo aparentes lesões a tiro na cabeça, pescoço, pernas e mãos.

Fonte: G1