Se condenado, médico acusado de matar Michael não será preso

Se condenado, médico acusado de matar Michael não será preso

Pela superlotação dos presídios e por bons antecedentes, Murray pode não ser preso se for condenado.

O médico Conrad Murray, se condenado pela morte do cantor Michael Jackson, não deverá passar um dia na prisão. Ele pode ser sentenciado a prisão domiciliar pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar.


Uma lei que entrou em vigor no estado americano da Califórnia diz que, por causa da superlotação dos presídios, as pessoas condenadas por crimes não-violentos não podem ser enviados para a prisão. Em vez disso, os criminosos não-violentos, como Murray, podem servir trabalho comunitário. Mas há uma reviravolta ... Murray poderia realmente servir trabalho comunitário em menos de dois anos, mas por causa da grave superlotação, os presos têm direito a prisão domiciliar, com base em 2 fatores - o seu antecedentes criminais, e risco para a comunidade. Murray tem um histórico limpo e não apresenta nenhum risco. Então, Murray pode ser levado a uma prisão domiciliar com uma pulseira de monitoramento eletrônico.

Fonte: TMZ