Sobrevivente de ataque na Noruega diz ter se fingido de morto

Sobrevivente de ataque na Noruega diz ter se fingido de morto

Breivik havia comprado seis toneladas de fertilizantes no começo de maio, informou uma porta-voz da Central de compras agrícolas

Um dos sobreviventes do ataque que deixou ao menos 84 mortos na ilha Utoya, em Oslo, na sexta-feira, contou à rede americana CNN que conseguiu escapar porque se fingiu de morto, misturando-se aos corpos de outros jovens ao redor.

Segundo Adrian Parcon, de 21 anos, ele estava junto com outros jovens da juventude do Partido Trabalhista na praia quando o atirador abriu fogo contra os que estavam na areia e na água.

?Eu estava a talvez cinco ou sete metros de distância dele, enquanto ele gritava que ia matar todos, que todos iriam morrer. Ele apontou a arma para mim, mas não puxou o gatilho?, disse o jovem por telefone do hospital onde está internado. ?Ele saiu e voltou cerca de uma hora depois e atirou em quase todo mundo?.

O depoimento de Pracon deu detalhes mais claros à investigação do ataque durante o encontro de jovens que ocorreu pouco depois da explosão em um prédio do governo norueguês que deixou outros sete mortos, num total de 91 mortos confirmado até agora.

?Eu e outros estávamos no chão e sobrevivemos porque nos agarramos aos corpos ao redor e fingimos que estávamos mortos?, contou o jovem à CNN. ?Eu podia ouvir a respiração dele?, disse, sobre o autor do ataque.

Fertilizantes

Emissoras de TV e jornais da Noruega identificaram o homem como sendo o norueguês Anders Behring Breivik, de 32 anos. Imagens do suposto autor do atentado foram divulgada na sexta-feira.

Breivik havia comprado seis toneladas de fertilizantes no começo de maio, informou uma porta-voz da Central de compras agrícolas.

"Vendemos a ele as seis toneladas de fertilizantes, o que representa um pedido relativamente diferente", declarou Oddny Estenstad. Ela não quis precisar a natureza dos produtos fornecidos, nem se poderiam entrar na composição de explosivos artesanais.

Em seu perfil no Facebook, o principal suspeito, identificado como Anders Behring Breivik pela imprensa norueguesa, se apresentaba como diretor de uma fazenda biológica, a Breivik Geofarm.

Fonte: g1, www.g1.com.br