Socialista François Hollande toma posse na França e se compromete com o crescimento

Socialista François Hollande toma posse na França e se compromete com o crescimento

Hollande afirmou que deseja abrir "um novo caminho na Europa".

O socialista François Hollande tomou posse nesta terça-feira (15) como novo presidente da França, em uma cerimônia rápida e discreta no Palácio do Eliseu, e já disse que vai apelar aos parceiros europeus para o estabelecimento de um "pacto" para cumprir as metas de redução do déficit e de estimular a economia.

Hollande afirmou que deseja abrir "um novo caminho na Europa".

"Dirijo aos franceses uma mensagem de confiança. Somos um grande país que sempre soube superar os desafios", declarou no discurso de posse, para um mandato de cinco anos, diante de cerca de 400 convidados.

Marcando sua diferença em relação ao ex-presidente Nicolas Sarkozy, que lhe entregou o cargo nesta terça, Hollande disse que vai exercer uma Presidência "honrada" e "sóbria" e garantir que o Parlamento tenha papel fundamental:

"Vou estabelecer as prioridades mas não vou decidir por todos, sobre tudo e em todos os lugares", disse.

"Meço o peso dos problemas que devemos enfrentar: uma grande dívida, um crescimento frágil, um desemprego elevado, uma competitividade degradada, uma Europa que sofre para sair da crise", disse, antes de ressaltar que "não existe fatalidade".

Na política interna, Hollande defendeu a imparcialidade do Estado e a necessária unidade dos franceses. Ao citar os valores da República, prometeu lutar "contra o racismo, contra o antissemitismo e contra todas as discriminações".

Merkel

Hollande viaja agora para Berlim, onde vai ser encontrar com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para falar sobre o pacto fiscal fechado entre os líderes europeus em março passado. Ele quer incluir no pacote o compromisso com o crescimento.

Durante a campanha eleitoral, a conservadora Merkel apoiou publicamente o rival de Hollande, Nicolas Sarkozy, que deixa o cargo.

"Vou propor a meus parceiros europeus um pacto que ligue a necessária redução do déficit ao indispensável estímulo da economia", disse Holande, vencedor das eleições de 6 de maio.

Hollande tornou-se oficialmente nesta terça o primeiro presidente socialista da França em 17 anos, numa cerimônia realizada às pressas, em meio às tensões econômicas no bloco europeu.

O novo líder francês, de 57 anos de idade, assume oficialmente o cargo oito dias após ter vencido seu antecessor com 51,6% dos votos no segundo turno das eleições de 6 de maio.

Hollande, eleito num momento de crise na Zona do Euro, com temores sobre a exclusão da Grécia da moeda única, dará entrevista na noite desta terça, em Berlim, ao lado de Merkel.

O pronunciamento será atentamente observado pelos mercados financeiros, ávidos por garantias de uma boa relação entre os dois líderes.

Ao contrário de Merkel, que prioriza a necessidade de controle nas contas públicas europeias, Hollande defende a adoção de medidas que favoreçam a retomada do crescimento econômico.

A eleição de Hollande refletiu a insatisfação dos franceses com o desemprego e a estagnação econômica.

O socialista afirmou, antes da posse, diz que tem consciência de que será julgado pelas atitudes que adotar no começo do mandato.

Na quarta, Hollande deve anunciar os integrantes de seu gabinete.

De acordo com fontes ligadas ao socialista, o líder da bancada na Assembleia Nacional, Jean-Marc Ayrault, deve ser o novo primeiro-ministro do país.

Após o encontro com Merkel, Hollande vai viajar na quinta-feira aos Estados Unidos para as cúpulas do G8 e da Otan.

Protocolo

A cerimônia de posse respeitou o protocolo tradicional. Hollande chegou durante a manhã ao palácio presidencial e caminhou pelo tapete vermelho no pátio de honra do edifício. O agora ex-presidente Sarkozy desceu as escadas para receber o socialista.

Sarkozy e Hollande seguiram para o gabinete presidencial para uma reunião a portas fechadas, durante a qual o ex-chefe de Estado transmitiu ao sucessor os códigos relativos ao armamento nuclear.

Ao fim da reunião, Sarkozy deixou o palácio do Eliseu, onde começava a cerimônia de posse.

Durante o evento, Hollande recebeu o colar de grão-mestre da Ordem da Legião de Honra e Debré proclamou a posse.

François Hollande, de 57 anos, é o sétimo presidente da Quinta República Francesa, com um mandato de cinco anos. Ele comandará uma das principais potências mundiais, membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

Também é o segundo socialista a ocupar a presidência durante a Quinta República, depois de François Mitterrand.

O novo chefe de Estado percorreu em seguida a avenida Champs-Élysées a bordo de um tradicional Citroën conversível até o Arco do Triunfo para a tradicional homenagem ao túmulo do soldado desconhecido.

Como gesto simbólico de início de mandato, tradição na França, Hollande honra no início da tarde duas figuras da história francesa para ilustrar as prioridades de seu mandato, educação e integração: Jules Ferry, pai da escola laica e gratuita francesa, e a cientista Marie Curie, francesa de origem polonesa e Prêmio Nobel de Física e de Química.

Posteriormente, o presidente visitará a prefeitura de Paris para um rápido encontro com o prefeito socialista Bertrand Delanöe.

Sarkozy e Bruni

O agora ex-presidente Sarkozy deixou o Palácio do Eliseu após a transferência de poderes.

Depois de 35 minutos de reunião a portas fechadas com o novo chefe de Estado, Sarkozy e sua esposa Carla Bruni-Sarkozy saíram de mãos dadas do edifício.









Fonte: G1