Stripper ajuda a prender francês que abusava da própria filha de 5 anos

Pela internet, mulher assistiu ao momento em que pedófilo cometia abuso contra menina de cinco anos e avisou a polícia.

Uma stripper que faz shows em sites eróticos pagos ajudou a polícia da França a prender um pai de família acusado de abusar sexualmente de sua filha de 5 anos.

Segundo fontes da Justiça francesa, a stripper, de nacionalidade belga, se despia na internet para um cliente quando viu, na tela de seu computador, a imagem de uma garotinha fazendo sexo oral com o homem que assistia ao striptease.

Logo após ela ter visto a imagem da criança, por um curto instante, a conexão com o cliente foi imediatamente interrompida. A stripper alertou as autoridades belgas.

O caso foi transferido à polícia francesa após a identificação do endereço IP (Protocolo Internet) do computador do suspeito de pedofilia, que reside nos arredores de Vitry-le-François, na região de Champagne, no nordeste da França.

O homem, de 35 anos, cujo nome não foi revelado pela imprensa francesa, é casado e pai de dois filhos, um menino de 9 anos e uma garota de 5 anos.

A mulher e o filho não estavam em casa no momento em que a agressão sexual da garota foi vista pela stripper belga.

O homem foi indiciado na terça-feira por estupro de menor de 15 anos e permanecia detido nesta quarta-feira no presídio de Châlons.

Durante o interrogatório policial, o homem admitiu ter obrigado sua filha a fazer sexo oral.

"Curto-circuito cerebral"

Ele alegou que há tempos não mantinha relações sexuais e que teve "um curto-circuito no cérebro" naquele dia.

Ele também admitiu ter abusado sexualmente de sua filha de 5 anos em outras ocasiões e disse ter "impulsos incontroláveis".

Os investigadores recuperaram o histórico das conversas online entre a stripper belga e o homem durante o show na internet.

"É possível constatar que ele cortou imediatamente a conexão quando a stripper, assustada após ver a menina na tela, escreveu: ah, mas é uma criança", afirmou Christian de Rocquigny, procurador de Chalons-en-Champagne.

A stripper conseguiu ver a menina na tela devido a um mau enquadramento da câmera do computador do cliente.

A polícia de Reims continua a investigar a possibilidade de outros casos de abuso sofridos pela criança.

O homem, que usava no site de striptease o pseudônimo de "nounours" (ursinho de pelúcia, na linguagem infantil), corre o risco de ser condenado a uma pena de 20 anos de prisão.

Fonte: G1