Suspeitos de matar Miss Honduras e a irmã são presos

Quatro pessoas tiveram prisão decretada pela Justiça do país

A Justiça hondurenha decidiu decretar nesta quinta-feira (20) a prisão de quatro pessoas suspeitas de envolvimento no assassinato da Miss Honduras Mundo, María José Alvarado, e sua irmã, Sofía Trinidad, encontradas mortas na quarta-feira (19), informou uma fonte judicial. O funeral das vítimas foi realizado nesta quinta.

 A corte decidiu emitir uma "ordem de prisão judicial pelo crime de feminicídio e de cumplicidade no crime de feminicídio" para os suspeitos, entre eles o namorado de Sofía Trinidad, Plutarco Ruiz, disse aos jornalistas a diretora de promotores do departamento de Santa Bárbara, Rosalba Reyes.

Ruiz foi apontado como 'o autor' do duplo assassinato e foi transferido para penitenciária de Santa Bárbara, explicou Rosalba.

O namorado de Sofía pode ser condenado a até 80 anos de prisão se for considerado culpado, segundo a diretora de promotores de Santa Bárbara.

 As irmãs Alvarado desapareceram no dia 13 de novembro na cidade de Santa Bárbara. A Miss viajou da capital Tegucigalpa para essa cidade para participar do aniversário do namorado de sua irmã, que foi detido na terça-feira junto com seu amigo Aris Maldonado Mejía.

Mejía, Ventura Díaz e sua esposa, Elizabeth Alvarado, estes últimos detidos na quarta-feira, também foram transferidos para a prisão pela acusação de "cumplicidade no crime de feminicídio", acrescentou Reyes.

Díaz e sua esposa são proprietários de um estabelecimento em Santa Bárbara, onde aconteceu a festa de aniversário de Ruiz e onde aparentemente foram assassinadas, segundo as autoridades locais.

Os corpos das irmãs foram encontrados na quarta-feira. O crime causou comoção na sociedade hondurenha, que, através de diversas organizações, exigem o fim da violência no país, onde 14 pessoas são assassinadas por dia.

A Miss Honduras participaria do concurso mundial de beleza que acontecerá em dezembro em Londres.



Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

 

Fonte: G1