Tio de 2 suspeitos de atentado durante Maratona em Boston pede para sobrinho se entregar

Tio de 2 suspeitos de atentado durante Maratona em Boston pede para sobrinho se entregar

Ruslan Tsarni disse que seus sobrinhos "envergonharam todo o povo da Tchetchênia"

"Dzhokhar, se você está vivo, se entregue e peça perdão", pediu nesta sexta-feira (19), o tio dos dois jovens suspeitos de serem os responsáveis do atentado da Maratona de Boston, considerado um dos piores nos Estados Unidos desde 11 de setembro de 2001.

Os sobrinhos de Tsarni, Dzhokhar e Tamerlan Tsarnaev, são os principais suspeitos dos ataques de segunda-feira. Tamerlan morreu após um tiroteio com a polícia, e a cidade agora está isolada em meio a uma caçada em busca do irmão mais novo. Tsarni disse também que ficou chocado ao ver imagens do FBI de seus sobrinhos na televisão e na internet.

Em uma entrevista muito emocionada de dez minutos à imprensa, em frente a sua casa em Maryland, Ruslan Tsarni disse que seus sobrinhos "envergonharam todo o povo da Tchetchênia" e expressou o desejo de que se desculpe pessoalmente com as vítimas, enquanto um dos sobrinhos é caçado pela polícia.

"Eu estou pronto para me curvar na frente deles, me ajoelhar na frente deles buscando seu perdão", afirmou se referindo às vítimas das explosões, e ressaltando que sua família não tem ligação com a família do seu irmão há vários anos.

Tsarni disse que está em situação legal nos Estados Unidos e que sua família é composta de muçulmanos tchetchenos, mas disse também que os sobrinhos nunca foram à Tchetchênia, uma região majoritariamente muçulmana no sul da Rússia, e é improvável que estejam envolvidos nos conflitos que atingiram a região nos últimos anos. "Se isso aconteceu, provavelmente alguém os radicalizou".

Tsarni disse que seus sobrinhos chegaram aos Estados Unidos provenientes do Quirguistão, na Ásia Central, em 2003, e receberam asilo, mas ele os chamou de perdedores que não conseguiram se integrar ao estilo de vida americano.

Quando perguntado sobre as razões pelas quais eles podem ter se voltado para o terrorismo, ele disse: "Ódio em relação àqueles que conseguiram se adaptar. Estas são as únicas razões que eu posso imaginar. Qualquer outra coisa, qualquer outra coisa ligada à religião, ao Islã, é uma fraude. É mentira".

Tsarni, vestido com uma camisa polo azul e falando em frente a sua casa de tijolos em Montgomery, em Maryland, disse estar angustiado pelo que ocorreu. "Claro que estamos envergonhados. Respeito este país. Amo este país, que dá a chance para que todos sejam tratados como seres humanos.... isso é o que eu sinto sobre este país".

Já o suposto pai dos suspeitos alega que seus filhos são inocentes, afirmando que eles caíram em uma "armadilha". "Em minha opinião, os serviços especiais armaram uma armadilha para os meus filhos porque são muçulmanos fervorosos", declarou o homem, Anzor Tsarnaev, à agência Interfax, falando da capital do Daguestão, Makhatchkala.

Fonte: UOL