Tiroteio em templo religioso mata ao menos 7 nos EUA

Um dos sete mortos é o atirador, segundo Bradley Wentlandt, chefe de polícia de Greenfield.

Um tiroteio ocorrido em um templo da religião Sikh em um subúrbio de Milwaukee, no estado americano de Wisconsin, deixou pelo menos 7 mortos e três feridos graves na manhã deste domingo (5).

Um dos sete mortos é o atirador, segundo Bradley Wentlandt, chefe de polícia de Greenfield.

Os primeiros relatos sobre o tiroteio chegaram aos serviços de emergência às 10h30 locais (12h30 de Brasília), segundo ele.

Ele disse que equipes entraram no templo e encontraram quatro corpos dentro do prédio e três fora.

Wentlandt também afirmou que o suspeito foi morto após atirar contra o primeiro policial que chegou ao local.

O policial reagiu, e matou o suspeito a tiros, segundo o chefe de polícia.

Ferido pelo disparo do suspeito, este policial, que teria cerca de 20 anos de experiência na polícia, foi hospitalizado e operado. Ele não corria risco de morrer.

Wentlandt disse que a polícia não acredita na existência de outro atirador, contradizendo o que foi divulgado anteriormente pela imprensa local e por testemunhas.

Segundo uma fonte médica, três pessoas foram levadas em estado crítico para o hospital Froedtert de Milwaukee.

Informações contraditórias

As primeiras informações sobre o ataque eram contraditórias.

A imprensa local e testemunhas afirmaram que havia mais agressores e que 30 pessoas foram mantidas reféns no interior do prédio.

Algumas pessoas teriam conseguido sair do templo quando perceberam o que estava acontecendo.

Agentes do FBI (polícia federal dos EUA) estão participando da operação.

O jornal "The Milwaukee Journal Sentinel" disse, citando testemunhas, que o autor dos disparos seria um homem branco de cerca de 30 anos, que tinha duas armas de fogo.

Ele teria começado a disparar contra um sacerdote que estava fora do templo.

Outra testemunha disse que os tiros foram disparados dentro de uma cozinha do prédio.

Não havia confirmação oficial dessas informações.

Sikhismo

O sikhismo, ou siquismo, é uma religião monoteísta fundada em fins do século XV no Punjab (região dividida entre o Paquistão e a Índia) pelo Guru Nanak (1469-1539).

Mundialmente, há 30 milhões de seguidores. Apenas nos EUA, eles são entre 250 mil e 500 mil. Os Sikhs são majoritários apenas no Punjab.

Nos EUA, especialmente depois do 11 de Setembro, os Sikhs muitas vezes foram confundidos com muçulmanos e agredidos. Mas eles não são nem muçulmanos, nem hinduístas.

Há uma comunidade sikh na região onde ocorreu o ataque deste domingo.

O templo Sikh de Wisconsin foi fundado em outubro de 1997, congregando cerca de 20 a 25 famílias, segundo seu site. Atualmente, tem entre 350 e 400 membros.

A sede atual, palco do ataque deste domingo, foi inaugurada em 2006.

Obama promete ajuda

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que está profundamente entristecido pelo tiroteio.

Ele afirmou que o governo vai dar toda a ajuda necessária para reagir ao incidente e investigá-lo.

"Enquanto lamentamos a perda que ocorreu em uma casa de oração, nos lembramos de quanto nosso país foi enriquecido pelos Sikhs, que são parte de nossa ampla família americana", disse Obama em comunicado.

John Brennan, conselheiro de Obama para contraterrorismo, mantém o presidente informado sobre os acontecimentos, segundo a Casa Branca.

Tiroteio na estreia de "Batman"

O incidente ocorre pouco mais de duas semanas depois de um atirador ter entrado em uma sessão de estreia do filme "Batman" em Aurora, no estado do Colorado.

O ataque deixou 12 mortos e 58 feridos, e o responsável, o estudante de 24 anos James Holmes, foi processado.

Não há informações sobre se os casos teriam alguma relação.

Fonte: G1