Vaticano nega que doença tenha sido o motivo da renúncia papa Bento XVI

Vaticano nega que doença tenha sido o motivo da renúncia papa Bento XVI

A renúncia de Bento XVI será oficializada no dia 28 de fevereiro

O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, negou nesta sexta-feira (15) que exista um "complô" no Vaticano e defendeu o que ele chamou de "diversidade de opinião".

"Em toda realidade há uma dinâmica que pode levar à diferença de opiniões que, se bem conduzida, leva ao progresso. Quando todos pensam a mesma coisa, não há muito crescimento em nenhuma situação. A diversidade de opinião faz parte da vida. Isso não quer dizer que haja batalhas ou complôs", disse Lombardi.

Segundo ele, em alguns jornais "as descrições sobre supostas lutas de poder no Vaticano foram além da realidade".

Os boatos sobre os supostos complôs no Vaticano se intensificaram após o anúncio, na segunda-feira, da renúncia do papa Bento XVI.

A renúncia

O papa Bento 16 anunciou sua renúncia na última segunda-feira em um discurso pronunciado em latim durante um encontro de cardeais no Vaticano. Ao justificar sua decisão, o pontífice de 85 anos alegou fragilidade por conta da idade avançada.

"Pela idade avançada, já não tenho forças para exercer adequadamente o ministério petrino", disse o papa, que afirmou ainda que "no mundo de hoje (...), é necessário o vigor tanto do corpo como do espírito, vigor que, nos últimos meses, diminuiu em mim de tal forma que eis de reconhecer minha incapacidade para exercer bem o ministério que me foi encomendado".

O Vaticano negou que uma doença tenha sido o motivo da renúncia. Mas, segundo o jornal "O Estado de S.Paulo", uma disputa interna de poder praticada por ex-aliados nos últimos meses pode ser uma das razões para a tomada de decisão do pontífice. Esta é a primeira vez na era moderna que um papa da Igreja Católica renuncia ao pontificado.

A renúncia de bento 16 será oficializada no dia 28 de fevereiro. E o cargo ficará vago até a eleição do próximo papa. A expectativa é que o conclave de cardeais eleja um novo papa ainda em março, antes da Páscoa. O Vaticano anunciou que a eleição deve começar entre 15 e 20 de março.

Cinco cardeais brasileiros deverão participar do conclave. Segundo a última lista do Vaticano, há um total de 116 cardeais aptos a votar no próximo papa. Para participar do conclave, o cardeal precisa ter menos de 80 anos. O Brasil tem um total de nove integrantes no Colégio Cardinalício do Vaticano, mas quatro deles já ultrapassaram a idade limite.

Em sua primeira aparição pública desde o anúncio da renúncia, o papa Bento 16 disse que tomou a decisão "pelo bem da igreja". Bento 16 agradeceu pelo "amor" e apoio dos fieis. (Com agências internacionais)

Fonte: UOL