Vendedora de flores amarra neto com paralisia cerebral em ponto de ônibus para ir trabalhar

Vendedora de flores amarra neto com paralisia cerebral em ponto de ônibus para ir trabalhar

Lakhan Kale não pode ouvir ou falar e sofre de paralisia cerebral e epilepsia

Uma escaldante calçada de Mumbai chama a atenção. Nela, um menino de nove anos, vestido de azul, sentado no chão com o tornozelo amarrado com uma corda a um ponto de ônibus onde há diversos pedestres.

Lakhan Kale não pode ouvir ou falar e sofre de paralisia cerebral e epilepsia. Então, sua avó o amarra para mantê-lo seguro enquanto ela trabalha. Ela é vendedora de flores e guirlandas em estradas da cidade.

"O que mais eu posso fazer? Ele não pode falar. Como vai contar a alguém que se perdeu?", disse Sakhubai Kale, de 66 anos, que cria Lakhan pelas ruas da cidade. O lar deles é por ali, entre o ponto de ônibus e a sombra de uma figueira, ou seja, nas ruas.

O pai de Lakhan morreu há vários anos e sua mãe abandonou a família.

A fotografia do menino amarrado foi estampada em jornais nesta semana e chamou a atenção de instituições de caridade e de políticos. Após a publicação de suas fotos, ele conseguiu ser colocado sob os cuidados de uma instituição do governo.

A avó diz que o menino tem mania de "sair por ai" e que não há ninguém para detê-lo enquanto ela e sua outra neta, Rekha, de 12 anos, saem para ganhar a vida. "Sou uma mulher sozinha e de idade. Ninguém prestou atenção em mim até a reportagem no jornal", disse.

"Ele estava em uma escola especial, mas o mandaram de volta", contou. Após a divulgação na imprensa, a assistente social Meena Mutha conseguiu colocar o menino em uma casa em Mumbai, que cuida de crianças carentes e com deficiência.

A avó ficou feliz. Ganhou também a permissão de ver o neto com frequência.













Fonte: Yahoo