Objeto encontrado no mar pode ser parte de avião desaparecido, afirma autoridades do Vietnã

Objeto encontrado no mar pode ser parte de avião desaparecido, afirma autoridades do Vietnã

Mais aviões serão enviados ao local na manhã de segunda (10). Avião que seguia da Malásia para a China sumiu com 239 pessoas a bordo.

Um avião da marinha vietnamita avistou um objeto que pode ser parte do avião da Malaysian Airlines que desapareceu no sábado com 239 pessoas à bordo, informou a Autoridade de Aviação Civil do Vietnã neste domingo (9).

A agência informou que está muito escuro para se ter certeza que o objeto é parte do avião desaparecido e que mais aviões serão enviados ao local pela manhã para investigar. O objeto foi avistado em águas no sul do Vietnã.

Autoridades da Malásia informaram mais cedo que nenhum destroço do avião foi localizado ainda, apesar dos esforços de uma operação de buscas que envolve 34 aviões e 40 navios.

As equipes de resgate ampliaram a área de busca nas águas do Golfo da Tailândia após informarem que o avião da Malaysia Airlines pode ter dado um giro na rota antes de desaparecer.

O ministro da Defesa e de Transportes, Hishammuddin Hussein, disse que as autoridades estudam todas as possíveis razões de uma meia-volta deste tipo.

"O desaparecimento do MH370 não é algo que possamos analisar superficialmente e não podemos descartar nenhuma possibilidade. As agências de inteligência de países relevantes foram informadas e compartilharemos a informação à medida que a investigação avançar", disse Hishammuddin.

Em entrevista coletiva posterior, autoridades da Aviação Civil e das Forças Armadas malaias disseram que os radares confirmam que o avião realizou essa manobra de giro, mas que não houve nenhuma comunicação do piloto como o protocolo estabelece.

Também não foi recebida nenhuma mensagem de alerta ou emergência vinda do avião antes de desaparecer, acrescentaram.

Investigação

Autoridades da Malásia estão examinando gravações de câmeras de segurança e interrogando oficiais de imigração e guardas do aeroporto internacional de Kuala Lumpur, preocupadas com a possibilidade de que uma falha de segurança possa estar conectada ao desaparecimento.

Suspeitas de que o voo, foi sequestrado ou alvo de explosão cresceram depois que autoridades descobriram que pelo menos dois passageiros usaram passaportes roubados.

Entretanto, as autoridades disseram que ainda não há nenhum indício de atividade terrorista.

nvestigadores malaios, apoiados pela polícia federal norte-americana, FBI, estão investigando as identidades de quatro passageiros do voo em particular, disseram duas autoridades do país à Reuters.

Os quatro são dois passageiros que usaram passaportes europeus, possivelmente da Ucrânia, além de dois que viajaram com passaportes da Áustria e da Itália, disseram as fontes.

"Nossos investigadores estão analisando todos os vídeos de segurança. Eles também estão interrogando os oficiais que permitiram a passagem dos impostores", disse uma autoridade com conhecimento direto da investigação.

O diretor da agência malaia de aviação civil afirmou a jornalistas no domingo que dois "impostores" conseguiram passar pelo check-in e pelo portão de embarque.

Fonte: G1