Jacarés ainda assustam população na Z. Norte e poder público ignora

Jacarés ainda assustam população na Z. Norte e poder público ignora

O jornal Meio Norte já mostrou que os moradores da região das lagoas do Norte, que foi urbanizada, estão com receio dos inúmeros animais.

No início da semana passada, o jornal Meio Norte ouviu várias reclamações dos moradores dos arredores do projeto Lagoas do Norte. Segundo eles, as lagoas estão abrigando cobras e jacarés, que assustam tanto quem mora próximo ao local, como as demais pessoas que costumam passar por ali.

Desde a veiculação da notícia nenhuma providência da prefeitura foi tomada.

A maior parte dos moradores conta que os animais já foram vistos várias vezes, tanto no início da manhã como no final da tarde. ?Eles ficam na borda da lagoa e é comum.

Ficamos apreensivos, até mesmo por conta das nossas crianças. Acredito que isso não será resolvido rápido, até mesmo porque a prefeitura nem apareceu por aqui?, coloca a aposentada Raimunda do Amparo Sousa, ao ressaltar que alguns fiscais fazem o trabalho fiscalização no local.

Maria José, que está residindo próximo a lagoa enquanto termina um tratamento médico na capital, também coloca que seu grande medo está relacionado com as crianças. ?Sou do interior de Novo Nilo e estou aqui com minha neta apenas para me tratar.

Quando estou livre, não chego perto da lagoa e nem deixo a garota se aproximar. Certo que nunca aconteceu algo grave com ninguém, mas qualquer descuido com as crianças pode gerar um grande problema?, completa.

Luis Levi, de apenas 10 anos, diz que já se acostumou com os bichinhos e os vê praticamente todos os dias. ?Moro nessa rua aqui por trás e todo dia venho com meus irmãos brincar aqui.

Eles aparecem sempre numa pedra que tem pertinho da borda. Tem de todos os tamanhos, tem tanto os pequenos como outros bem grandes?, coloca o menino.

Na lagoa é muito comum a prática esportiva. A caminhada é mais comum e como os horários em que a comunidade costuma passear e caminhar por ali são pela manhã e no final da tarde, a preocupação cresce ainda mais, visto que os animais costumam aparecer nesse horário.

Na primeira matéria noticiada no jornal Meio Norte, o secretário executivo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Dionísio Carvalho, afirmou que a direção do parque está passando por um processo de transição, no entanto, ele adiantou que haverá um técnico ambiental para cuidar das questões relativas ao meio ambiente na região. O certo é que até o momento nenhum técnico apareceu por lá para se inteirar da situação.

Fonte: Aline Damasceno