Jovem e seu namorado planeja assalto à própria mãe

Jovem e seu namorado planeja assalto à própria mãe

Lauren Portela estava acima de qualquer suspeita e hoje é foragida da polícia

A polícia procura um casal que praticou um crime que chocou até os investigadores. Com a ajuda do namorado, a filha tramou um assalto à própria mãe.

Jovem, bonita, bem educada e foragida da Justiça. Lauren Portela é acusada pela polícia de formação de quadrilha em um assalto contra a própria mãe.

A menina de 19 anos passou a infância em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense e cursava a faculdade de direito. Filha de uma professora universitária e de um procurador federal, para amigos e vizinhos, Lauren era uma menina acima de qualquer suspeita.

A mudança na vida de Lauren pode ter começado há dois anos, quando conheceu Marcos Vinícius, um office boy de uma distribuidora de bebidas. Logo o rapaz conquistou a confiança da família. Mas, para os investigadores, Marcos Vinícius faz parte de uma quadrilha que sequestra gerentes de bancos.

Em escutas telefônicas gravadas com autorização da Justiça, ele conversa com Lauren para tramar um assalto à mãe da namorada. O casal combina que a vítima seria cercada, quando saísse de carro para ir à igreja. E Lauren dá as coordenadas para o namorado.

Com a descrição tão precisa, a mãe de Lauren virou um alvo fácil para os bandidos. O assalto aconteceu em uma avenida movimentada de Nova Iguaçu, a 300 metros da casa da vítima. Era início de uma noite de quarta-feira. A professora seguia para a missa. Marcos Vinícius estava em um carro logo atrás. Ele deu cobertura a dois comparsas que anunciaram o assalto. Além de roubarem o carro da mãe de Lauren, levaram também o celular e a carteira. Logo depois do crime, a jovem voltou a falar com o namorado.

Os dez integrantes da quadrilha de Marcos Vinícius foram presos pela polícia esta semana. Mas o casal ainda está foragido.

?Ela foi absolutamente calculista. Ela queria simplesmente uma vantagem financeira. Pouco importava naquele momento para ela que tipo de reação ia acontecer. Se a mãe dela pudesse reagir e um criminoso acabasse atirando na própria mãe?, explica o diretor do departamento de polícia especializada do Rio de Janeiro, Rodrigo Oliveira.

No dia seguinte, o criminoso sugere a Lauren que vá uma feira de produtos roubados e compre um celular para substituir o aparelho da mãe levado no assalto. A namorada recusa a sugestão e explica o porquê: ?Porque ela não quer nada roubado. Ela quer encher meu saco?.

Fonte: g1, www.g1.com.br