Jovem que sonha em fazer jornalismo perde prova do Enem e ganha bolsa para 2015

Sensibilizado pelo drama vivido pela jovem que perdeu a prova, o professor de um cursinho que estava no local ofereceu uma bolsa de estudos

A família de Amanda Alli, de 19 anos, que perdeu a prova do Enem no Rio por chegar bem na hora em que os portões da Universade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) foram fechados, está abalada. De acordo com a mãe da jovem, que pela terceira vez está tentando fazer jornalismo, o fato de a estudante ter perdido a hora por conta do trânsito — ela mora em Subúrbio do Rio, em Pilares, e a prova foi realizada na Zona Norte, no Maracanã —, foi irrelevante.

"Não tenho nada a dizer. Estou muito nervosa. O trânsito foi irrelevante. Existem regras e, neste caso, era para chegar às 7h ou até dormir na porta", afirmou Verônica [que não revelou o sobrenome], responsável por levar Amanda até o local da prova. Moradora de Pilares, no Subúrbio do Rio, Amanda contou que saiu de casa ao meio-dia, uma hora antes de os portões de fecharem. Ela foi até o local da prova com a mãe, mas, no meio do caminho, ao perceber que se atrasaria por conta do trânsito, pegou um mototáxi.

"Elas saíram dentro do horário. O problema foi o engarrafamento. A mãe pagou um mototáxi, mas, infelizmente, Amanda não conseguiu chegar a tempo", explicou a tia da estudante, Valéria Neves. "Ela se empenhou muito para fazer essa prova. É antenada, inteligente. Sabe tudo de esportes e queria trabalhar com isso: jornalismo e esportes", acrescentou a tia, ao lembrar que a menina correu atrás e conseguiu uma bolsa de estudos para se preparar no Sesc. A tia contou ainda que até o momento Amanda não havia retornado para casa e que todos estavam preocupados com ela: "Ela deve estar muito sofrida. Não está atendendo o celular".

Bolsa de estudos

Sensibilizado pelo drama vivido pela jovem que perdeu a prova, o professor de um cursinho que estava no local ofereceu uma bolsa de estudos para Amanda. De acordo com Álvaro Barreto, a estudante que quer se formar em jornalismo, poderá se preparar para o Enem de 2015 na unidade de um tradicional curso preparatório no Méier. "Ela fazia cursinho à noite, outro dia quase foi assaltada enquanto voltava para casa. Lutamos com dificuldade para que ela conseguisse entrar na faculdade. Essa notícia da bolsa [oferecida pelo professor] é boa. Mas o que aconteceu hoje foi uma pena", afirmou a tia de Amanda.


Fonte: G1