Justiça condena radialista por calúnia contra empresário

Radialista vai cumprir serviço comunitário durante 9 meses

A justiça paraibana condenou o radialista e apresentador paraibano Fabiano Gomes a uma pena de 9 meses e dez dias em regime aberto pelos crimes de calúnia e difamação contra o empresário Eduardo Carlos, da Rede Paraíba de Comunicação, que controla as rádios Cabo Branco FM 91.5 e CBN FM 101.7 AM 920 de João Pessoa. 


Radialista vai cumprir serviço comunitário  (Crédito: Internet)
Radialista vai cumprir serviço comunitário (Crédito: Internet)


Segundo o G1, o caso ocorreu em 2011, durante o programa "Correio Debate" da 98 Correio FM 98.3 de João Pess, apresentado por Fabiano. Na ocasião, o apresentador difamou o empresário com frases como “chama-se Eduardo Carlos, o mesmo que é dono da São Braz, que sonega imposto, que engana o consumidor” ou “o doutor Eduardo Carlos sim, tem total interesse de tentar barrar a licitação do Estado”. 

O apresentador será notificado pelo juiz para definir o local onde cumprirá a pena. Ele terá que prestar serviços comunitários pelo período ao qual foi condenado. Como decisão é em segunda instância, ele não poderá recorrer. Segundo o juiz José Guedes Cavalcanti Neto, que assinou a sentença, a partir do momento que o apresentador transcendeu os limites da informação e emitiu opiniões próprias sobre o empresário, ficou comprovada a prática do crime.

Em outro caso também na Paraíba, o deputado estadual e vice-presidente da Assembleia Legislativa de Monteiro (PB), João Henrique, abriu uma ação contra a Rádio Monteiro FM 97.5 de Monteiro, no interior paraibano, o radialista Chico Lobo e o comerciante Juraci Conrado, por ofensas durante a transmissão do programa "Dizendo Tudo".

 

De acordo com o portal da TV Cariri, o político pede uma indenização de R$ 35 mil e que a rádio pare de atacá-lo. João Henrique afirmou que existem outros processos para serem ajuizados contra a rádio e os profissionais por pessoas que também foram ofendidas. O político informou que o valor integral da indenização será doado ao Centro de Convivência dos Idosos de Monteiro (PB). 

Fonte: Portal Imprensa