Lavadores de carro usam gambiarras na praça Saraiva em Teresina

Os lavadores falam normalmente sobre a atividade em si, citando as dificuldades do trabalho

Diariamente, vários lavadores de carro trabalham na praça Saraiva, no centro da capital, utilizando ligações clandestinas de energia elétrica. A principal aplicação é o funcionamento de aspiradores de pó, utilizados na limpeza dos veículos. É possível perceber, com um pouco de atenção, as gambiarras feitas pelos lavadores para que os equipamentos possam ser utilizados.

Em uma das laterais da igreja de Nossa Senhora das Dores, a ligação irregular está localizada em uma pequena casa de energia elétrica ? uma tomada improvisada foi puxada até o local através de um fio ligado a um pequeno mastro de ferro, no teto da pequena estrutura. O fio vem de um dos vários postes da parte central da praça.

Os lavadores falam normalmente sobre a atividade em si, citando as dificuldades do trabalho. Mas desconversam quando o assunto são as gambiarras de energia. ?Aqui, retiramos água de um poço tubular na praça. Estou nisso há dez anos, é um trabalho difícil. A ligação de energia é deles aí?, disse um dos lavadores, procurando mudar de assunto e não deixando claro quem seriam ?eles? em sua afirmação.

Do lado oposto da praça, uma cena surpreendente pode chamar a atenção: Ao passar pelo local, é comum conseguir flagrar lavadores de carros ligando a tomada de aspiradores em uma grande árvore ? não, não é uma espécie elétrica de vegetal. Na verdade, há outra ligação clandestina no local, quase imperceptível. O fio parte de um poste no outro lado da rua Rui Barbosa, nas proximidades da Casa da Cultura, e percorre os galhos e folhas . Desce até o tronco, enrola-se em um galho e está fixada ao alcance dos lavadores.

Diante da irregularidade e do perigo dessas situações, o programa Reluz, que fica na SDU Sudeste e que cuida da iluminação pública da capital, afirmou que vai proceder à investigação do problema. Segundo o órgão, primeiro será feira a verificação se a rede na qual estão as gambiarras, para constatar sé a mesma é de responsabilidade do Reluz ou da Eletrobrás, através da visita de um eletrotécnico ao local.

Fonte: Marcos Moraes