Lei Seca tem resultados positivos e reduz em 16% acidentes no mês agosto no Piauí

Esse número é comemorado pelas autoridades da Companhia Independente de Policiamento Metropolitano

A Lei Seca j? produziu seus primeiros resultados positivos no Piau?, reduzindo em 16% as ocorr?ncias de acidentes envolvendo motoristas na capital, no m?s de agosto. Esse n?mero ? comemorado pelas autoridades da Companhia Independente de Policiamento Metropolitano de Tr?nsito. J? nos primeiros dias de setembro houve redu??o de seis por cento nos acidentes.

A Ciptran apurou que a legisla??o nova que pro?be o consumo de ?lcool contribuiu para baixar ainda mais o ?ndice de acidente. Foi uma redu??o de seis por cento em setembro observando que os dados s?o importantes porque o papel da Pol?cia de tr?nsito ? combater os abusos e as altas taxas de acidentes com v?timas, como diz o major Raimundo Rodrigues.

O comandante da Ciptran, major Raimundo Rodrigues, voltou a alertar os condutores de ve?culos automotores para o perigo de dirigir carro depois de ingerir bebida alco?lica. O comandante mostrou que desde a implanta??o da Lei Seca j? foram autuados 26 motoristas sendo levados ? Central de Flagrantes da Seguran?a os que se excederam no consumo do ?lcool.

Ele se recusa a fazer compara?es entre o ?ndice de teor alco?lico encontrado nos exames com o baf?metro e a quantidade de bebida consumida, alegando que tudo depende da complei??o f?sica do indiv?duo sendo imposs?vel estabelecer esse tipo de rela??o, podendo inclusive levar o condutor a praticar excessos por causa de informa?es equivocadas. Na verdade mesmo ? garante o major Rodrigues ? a orienta??o segura ?: se beber n?o dirija.

Para ser autuado pela autoridade do Ciptran em suas blitze realizadas sempre sem comunica??o antecipada, basta o baf?metro acusar ?ndice igual ou superior a seis decigramas por litro de sangue correspondente ao teor alco?lico. Essas medidas, segundo o major Rodrigues t?m contribu?do para reduzir o n?mero de acidentes com v?timas que resultem em ferimentos e mortes.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br