Lixo eletrônico ainda é subaproveitado no Piauí

Lixo eletrônico é algo rentável e muito caro, mas que ainda é subaproveitado no Piauí

Lixo eletrônico pode ser mais luxuoso e lucrativo do que se imagina. Computadores, celulares, notebooks, câmeras digitais, MP3 player, entre outros que geralmente são descartados de maneira incorreta. Isso é prejudicial ao meio ambiente, pois muitos destes produtos possuem elementos químicos agressivos a natureza e a saúde humana, como . Se fossem reciclados poderiam render novas peças novinhas.

O poder público ainda não se atentou para investimentos em reciclagem, sobretudo no que se trata de resíduos eletrônicos. Apesar desta falta de apoio estatal, alguns setores da sociedade já perceberam a rentabilidade do lixo eletrônico e vem se articulando para reaproveitar estes produtos. É o caso da Projeto de Metarreciclagem do Movimento pela Paz na Periferia (MP3), que pratica a sustentabilidade e consegue obter bons frutos e proteger o meio ambiente.

Metarreciclagem é o carro-chefe do projeto MP3 e, além de dá nova vida aos computadores e aparelhos eletrônicos usados, dá novos rumos aos jovens e adultos atendidos. O projeto consiste em desmontar e verificar o funcionamento destes equipamentos que se amontoariam em qualquer lixão da cidade e que chegam por meio de doações para as mãos habilidosas e cabeças criativas dos participantes do projeto.

Coordenador técnico da estação de metarreciclagem do Piauí e do Nordeste, Nelson Chaves explica que a base do processo se constitui em 5 erres: reduzir, reaproveitar, reutilizar, recicla e repensar. ?Trabalhamos em primeiro lugar a recuperação de pessoas retirando jovens da periferia e dando oportunidade de participar da sociedade como gerador de renda. Para que isso tudo funcione a gente precisa de matéria-prima que é adquirida através de doações de todo Piauí?, explica Nelson.

Ele avalia que lixo eletrônico é algo rentável e muito caro, mas que ainda é subaproveitado no Piauí. ?O Piaui é pobre no sentido desse cuidado com a natureza se fala muito e se faz pouco?. No MP3 eles tentam mudar esta realidade e informa que dos resíduos eletrônicos é possível retirar ouro, cobre, alumínio e ferro que serão comercializados e ajudarão na renda da entidade.

Fonte: Vicente de Paula