Mãe de criança de 4 anos abusada em creche era amiga de idoso suspeito

Mulher que fez denúncia à polícia conhecia a família do suspeito há 20 anos.

A mãe da menina de quatro anos que teria sido estuprada por um homem de 60 anos, em Jataí, no sudoeste do estado, afirmou que conhecia a família do idoso há 20 anos e que não desconfiava dele. ?Cresci com os filhos do casal e a gente brincava junto, tinha uma relação de amizade?, contou a mulher, que não quis se identificar. Preso na quinta-feira (3), o idoso também é suspeito de abusar de outras três meninas.


Mãe de abusada em creche não desconfiava de idoso:

De acordo com a Polícia Civil, as vítimas do idoso têm idades entre 4 e 13 anos. Ele teve acesso as crianças na própria casa, no Jardim Rio Claro, na qual a esposa mantinha uma espécie de creche clandestina. A suspeita é de que o homem praticava os abusos há mais de quatro anos e, segundo a polícia, o caso só não foi descoberto antes porque ele ameaçava matar as mães das crianças, caso elas contassem sobre os estupros.

Segundo a mãe, a menina de quatro anos não ficava mais na creche, mas a desconfiança surgiu depois que a filha visitou a casa do idoso e passou a sentir dores ao urinar. Questionada, relatou sobre a violência sexual. ?Ela começou a falar que não era a primeira vez, que ele já tinha feito antes e como o homem agiu?, relatou a mulher.

Ainda de acordo com a mãe, uma vizinha também confirmou que a filha foi vítima do suspeito. ?Com ela acontecia há muito tempo e só parou quando a menina cresceu e conseguiu fugir?, ressaltou.


Mãe de abusada em creche não desconfiava de idoso:

Após ouvir o relato da vizinha, a mulher procurou a polícia e denunciou o caso. ?Apesar de não ter sido consumada a relação sexual, o suspeito teria passado a mão no corpo da criança e tocado nas suas partes íntimas?, informou a delegada Paula Meotti, responsável pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) e pela Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) de Jataí.

Creche clandestina

A creche funcionava na casa do suspeito há 12 anos, segundo relatou a esposa dele em depoimento à polícia. Ela recebia dinheiro por cuidar das crianças, mas a atividade nunca foi legalizada. ?Nesse período, a mulher cuidou de dez menores, com idades variadas. Há cerca de 30 dias ela teria informado aos pais que deixaria de prestar os serviços, sem especificar os motivos?, disse a delegada.

Também em depoimento à polícia, o idoso negou os crimes e pediu a presença de um advogado. O homem ainda contou que foi submetido a uma cirurgia há alguns anos e que, desde então, teria passado a consumir bebidas alcoólicas com frequência. A mulher dele também foi ouvida e disse que o marido não tem qualquer participação nos crimes. De acordo com a delegada, a princípio, a esposa foi ouvida e liberada. No entanto, a polícia vai investigar se ela tinha conhecimento sobre os abusos.

As investigações sobre o caso começaram há duas semanas. A polícia pediu e a Justiça concedeu um mandado de prisão preventiva para o suspeito. O homem foi indiciado por estupro de vulnerável e encaminhado ao presídio de Jataí.

Fonte: G1