Mãe é suspeita de tentar negociar filha de 10 meses por imóvel

Mãe é suspeita de tentar negociar filha de 10 meses por imóvel

Tia diz que descobriu negociação e luta na Justiça pela guarda da menina.

O Conselho Tutelar da Zona Norte de Manaus apura uma denúncia de que uma mãe e avó teriam tentado negociar a filha de 10 meses em troca de um apartamento. Segundo a tia do bebê, Luciane Mayara, a avó e mãe da criança estariam negociando a troca com um casal de Boa Vista, Roraima. O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) acompanha o caso.

A menina nasceu na maternidade Azilda Silva Marreiro, no bairro Monte das Oliveiras. Ao sair da unidade, não foi registrada pela mãe, uma adolescente. Com dez meses, a menina ganhou o nome de Vitória.

De acordo com Luciane Mayara, a negociação ainda estava em andamento quando a menina foi levada por ela, que agora precisa comprovar o parentesco com a criança. Caso não consiga, o Conselho Tutelar levará a pequena Vitória para um abrigo. A tia iniciou uma disputa judicial pela guarda da menina.

Segundo uma amiga da tia da criança, que preferiu não ser identificada, a mãe de Vitória chegou a levar a menina para Roraima, onde o casal que supostamente compraria a menina a viu pela primeira vez. "Eu fiquei sabendo disso, liguei para o Ronda no Bairro e contei a história. Como sou mãe, fiquei revoltada", disse.

Após pegar a menina, a tia avisou ao projeto "Ame a vida", do 26ª Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Santa Etelvina, que encaminhou o caso ao Conselho Tutelar da Zona Norte. Um homem que também não quis se identificar, que diz ser próximo de Luciane, ajuda nos cuidados da criança e afirmou que quando a bebê chegou em Manaus estava doente.

O conselheiro tutelar da Zona Norte de Manaus, Marcos Frota, informou que o caso está sendo acompanhado pelo MPE-AM, que investiga a participação das familiares da criança. A mãe e a avó da menina não foram localizadas. A tia espera a decisão que poderá impedir a possível venda da criança, para que ela possa dar início ao processo de adoção.

Fonte: G1