Maior parte das vítimas no trânsito possui entre 30 a 59 anos

Trata-se de uma questão comportamental

Há quem acredite que a imprudência e a extravagância são características da juventude, mas a maior parte dos acidentes com vítimas no trânsito em Teresina acontece com condutores entre 30 a 59 anos.

A faixa etária corresponde a 47,5% dos acidentes com vítimas registrados pela Companhia Independente de Trânsito (Ciptran) no primeiro semestre de 2015. De um total de 1.132 acidentes, 536 ocorrências envolveram esse público. A experiência e a autoconfiança podem ser os motivos que justificam os altos índices.

Os dados mostram ainda que os jovens entre 18 e 29 anos ocupam o segundo lugar com maior registro de ocorrências. Os adolescentes com menos de 18 anos, mesmo sem ter habilitação para dirigir, aparecem nos registros do Ciptran, em 1,5% dos acidentes com vítimas.

De acordo com a tenente Andréa Monteiro, Relações Públicas da Ciptran, a alta incidência de acidentes entre os adultos tem ligação com o comportamento dessa população no meio social.

"Os adultos têm sido, de fato, os que mais se envolvem em acidentes de trânsito com vítimas e, infelizmente, esses números têm se mantido ao longo dos meses.

Trata-se de uma questão comportamental. Por serem mais seguros na direção e terem mais experiência, a tendência é que essa população não tome os cuidados devidos nem respeite as leis de trânsito", ressalta.

É o que também acredita Geovanna Moura, diretora da Escola de Trânsito do Piauí. Ela destaca o excesso de autoconfiança como uma das hipóteses que pode justificar os elevados números de acidentes entre os adultos.

"A justificativa pode estar atrelada à questão da experiência. Por ter anos de direção, os adultos passam a não respeitar as regras de trânsito e a se arriscarem mais em manobras ou ultrapassagens. A autoconfiança e as habilidades acabam pondo em risco todos os que fazem parte do trânsito", explica.

Homens têm maior participação em acidentes

Os dados do primeiro semestre de 2015 da Ciptran também mostram que os homens são as maiores vítimas no trânsito, representando 75% dos casos registrados nos seis primeiros meses do ano.

Dos 1.132 acidentes de trânsito com vítimas, 851 tiveram como condutores homens; já em 173 das ocorrências, mulheres estavam na direção do veículo.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele