Mais de 12 mil famílias piauienses tem Bolsa Família bloqueado

om o bloqueio, mais de 36% das famílias piauienses beneficiadas pelo Bolsa Família foram afetadas e não receberam o benefício neste mês de fevereiro.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Econômico divulgou uma estatística preocupante para vários piauienses: 12.487 famílias do Estado tiveram o benefício do Bolsa Família suspenso porque não realizaram a atualização cadastral do programa do Governo Federal dentro do prazo, que encerrou dia 16 de janeiro deste ano e beneficia mais de 37 mil famílias no Piauí.

Com o bloqueio, mais de 33,6% das famílias piauienses beneficiadas pelo Bolsa Família foram afetadas e não receberam o benefício neste mês de fevereiro. Elas estavam há mais de dois anos sem atualizar o cadastro obrigatório e receberam uma convocatória impressa no extrato do benefício para atualizar os dados junto aos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), mas ainda assim não compareceram a nenhum dos locais no prazo estabelecido.

Segundo o Coordenador Estadual do Cadastro Único do Bolsa Família, Roberto Oliveira, existem vários motivos para a não atualização do cadastro. "O próprio nível de interesse das famílias é um destes fatores. Elas associam o cadastro único apenas ao programa Bolsa Família, mas ele é útil para todos os programas sociais do Governo Federal. Muitas vezes, por acharem que estão fora do perfil do programa, elas não atualizam o cadastro. Mas isto pode trazer uma série de consequências", aponta.

Roberto Oliveira esclarece que, além de ter o benefício bloqueado, as famílias ainda perdem uma série de facilidades, como isenção da taxa de inscrição em concursos públicos e o abatimento de parte do valor da conta de energia elétrica.

Para não ter o benefício cortado definitivamente, as famílias pendentes devem realizar a atualização cadastral até dia 20 de março. Se permanecerem aptas para receber o amparo, a família terá o benefício liberado e poderá sacar o valor que havia ficado bloqueado no mês de fevereiro.

Logo, para realizar a atualização do cadastro, as famílias devem portar a Carteira de Identidade, CPF, título de eleitor, certidão de nascimento dos filhos, comprovante de residência e declaração de matrícula das crianças na escola. A atualização pode ser feita em qualquer Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da capital ou interior do Estado.

Saiba os documentos necessários para resgatar o Bolsa Família

Além da documentação obrigatória, as famílias podem levar outros documentos que ajudem a melhorar a qualidade das informações do Cadastro, como comprovante de residência, conta de energia elétrica, comprovante de matrícula das crianças e adolescentes na escola e carteira de Trabalho e Previdência Social.

Os titulares do cartão Bolsa Família devem se dirigir ao Cras de sua região portando o Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou Título de Eleitor. Já os responsáveis por famílias indígenas e quilombolas podem apresentar qualquer outro documento de identificação de validade nacional.

Já as demais pessoas da família devem levar ao menos um dos seguintes documentos: Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (Rani), CPF, Carteira de Identidade; Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Título de Eleitor.





Fonte: Olegário Borges