Mais de 20% das crianças ainda não foram vacinadas

O percentual de 73% é considerado bem abaixo do esperado pela Fundação Municipal de Saúde.

Em Teresina, já foram vacinados 73% das crianças menores de cinco anos de idade, contra a Poliomielite. A meta é alcançar uma cobertura de 95%, que corresponde a 62.750 do total de crianças nessa faixa etária até o dia 6 de julho, data do final da campanha.

O percentual de 73% é considerado bem abaixo do esperado pela Fundação Municipal de Saúde, já que falta pouco mais de uma semana para o final da campanha. ?Nós deveríamos está com um percentual bem maior. Em uma semana nós precisamos vacinar mais de 20% do público alvo?, disse a gerente de epidemiologia da FMS, Amparo Salmito.

No ano passado, Teresina conseguiu uma cobertura vacinal de 98,9%. Para tentar repetir o resultado esse ano, a vacina estará disponível durante toda a campanha, em 87 postos espalhadas pela cidade. ?As mães precisam levar seus filhos para que eles sejam imunizados contra essa doença. Se ficar alguma criança sem vacinar, ela não estará livre de contrair a doença. Nosso desejo era imunizar 100% das crianças, mas se chegarmos a 95% já é um bom resultado?, pontuou Salmito.

A primeira etapa da campanha de vacinação contra a pólio teve início dia 16 de junho e segue até o dia 6 de julho em todas as salas de vacina dos Hospitais e Unidades Básicas de Saúde do município. A FMS reitera que os Centros e Unidades de Saúde distribuídos em praticamente todos os bairros da cidade funcionam em horário comercial e disponibilizam a vacina para as crianças inseridas na faixa etária determinada pelo Ministério da Saúde.

Não existe tratamento para a pólio. Somente a prevenção, por meio da vacina, garante a imunidade. Ela é segura e se destina a todas as crianças menores de cinco anos, mesmo as que estejam com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarreia. No caso de crianças que sofrem de doenças graves, recomenda-se que os pais consultem profissionais nos postos e centros de saúde para avaliar se devem ou não receber a vacina. Crianças com febre acima de 38º, ou com alguma infecção, também devem ser avaliadas por um médico.

Fonte: Pollyanna Carvalho