Mais de 400 alunos são avaliados para prevenir e tratar a hansenías

Atividade e acontece até outubro em 350 escolas públicas da capital

Fundação Municipal de Saúde (FMS) lançou hoje (13) a Campanha de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma na Escola Municipal José Nelson de Carvalho, bairro Parque Alvorada, zona Norte da cidade. Esta é terceira edição da atividade e acontece até outubro em 350 escolas públicas de Teresina. A campanha objetiva avaliar alunos de cinco a 14 anos para o diagnóstico e tratamento da hanseníase, tracoma e verminose.

Image title

“Para que nossos jovens sejam bem preparados para o mercado de trabalho os setores de saúde e educação precisam andar unidos e sempre realizando atividades voltadas ao bem estar geral dos alunos”, disse a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba.

 Marly da Paz, diretora da Escola Municipal José Nelson de Carvalho, concorda com Amariles Borba. “Nossa escola tem mais de 430 alunos.  Precisamos ser parceiras do setor de saúde, assim como os pais e responsáveis deles. Só assim poderemos desenvolver uma educação plena para essa quantidade de jovens. Quando os agentes de saúde vêm à escola, o alcance do que trabalhamos em sala de aula sobre saúde é bem maior”, afirmou.

 No período de quase 10 anos Teresina diminuiu em 50% os casos de Hanseníase. Em 2005 a FMS registrou mais de 800 casos da doença na capital, no ano de 2014 foram totalizados 440 casos. “É um avanço essa queda nos números, mas precisamos continuar a busca ativa e tratamento de novos casos que venham a surgir”, afirma o enfermeiro Salmon Alencar, da coordenação de Hanseníase da FMS.

 Os principais sintomas que indicam hanseníase são manchas esbranquiçadas ou avermelhadas; manchas dormentes (com diminuição da sensibilidade); dormência nos pés, caroços avermelhados ou castanhos.

 Profissionais de saúde estiveram na escola José Nelson de Carvalho para fazerem a busca ativa de casos de hanseníase por meio do chamado método do espelho, que usa um formulário no qual os pais informam sobre eventuais sinais e sintomas sugestivos no corpo de seus filhos. Nos formulários, que inclui o desenho do corpo humano, os responsáveis marcaram onde as crianças possuem qualquer tipo de machas na pele, para serem avaliadas pelas equipes da atenção básica. 

 Para o tratamento de verminoses nos escolares foram administradas doses do medicamento Albendazol 400mg. "A dose é única, não tóxica, de baixo custo e já foi utilizada em milhões de indivíduos em diversos países. Seus efeitos colaterais são raros e sem gravidade”, explicou Amariles Borba.

 A campanha de verminoses, que acontece concomitantemente à de hanseníase, pretende reduzir a carga das verminoses (parasitas intestinais conhecidos como lombrigas), que causam anemia, dor abdominal e diarreia, com o uso de vermífugo preventivo. Esses parasitas podem prejudicar o desenvolvimento e o rendimento escolar da criança e do jovem. 

Fonte: Assessoria