Mais de 8.000 pacientes são assistidos pela Rede de combate ao câncer no Piauí

Cerca de 8 mil pacientes são atendidos no Piauí

Com o diagnóstico confirmado, o tratamento do câncer infantojuvenil é delicado, principalmente quando a família não possui recursos financeiros suficientes para garantir a saúde da criança até o final do tratamento. Mas o grupo de voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí (RFCC-PI), por meio dos inúmeros projetos e campanhas desenvolvidos pela entidade, tem garantido o bem estar do paciente oncológico carente.

De acordo com Sandra Sousa, voluntária e colaboradora da administração, a RFCC tem apresentado aumento expressivo no número de pacientes. Em relação aos Estados que são assistidos pela entidade, 1.536 correspondem aos pacientes do Maranhão, seguido pelo Estado do Pará com 171. Para a voluntária, o número menor de pacientes oriundos do Estado do Pará se deve pelo aumento de clínicas especializadas implantadas no Estado.

Segundo a voluntária, a RFCC atende hoje cerca de 570 crianças, entre 0 a 12 anos de idade. E mais ou menos 436 com idade de 12 a 21 anos. “O interessante também são os números em relação aos adultos, que somam 7.810 pacientes com idade de 21 a 90 anos”, explicou.

Com 3 anos de idade, Maria Clara que hoje já tem 10 anos, foi diagnosticada com leucemia. Natural de Teresina, ela buscou tratamento na RFCC. “Foi um momento muito difícil receber um diagnóstico de câncer, mas buscamos o tratamento e chegamos até as voluntárias da RFCC que tem nos dado todo o suporte para ver meu filho curado”, relatou Deusimar Nascimento, mãe da menina.

Mas para manter os projetos e ajudar as famílias e suas crianças, a entidade conta apenas com as doações e muito trabalho voluntário. “O McDia Feliz, campanha coordenada pelo Instituto Ronald McDonald, por exemplo, é uma das nossas principais fontes de recursos e contamos com o apoio da comunidade para ter recursos que nos ajudem a levar mais chances de cura para crianças e adolescentes da região”, informou Carmen Campelo, presidente da RFCC-PI. “Todo mundo pode colaborar: basta comprar tíquetes antecipados do Big Mac, produtos promocionais da campanha ou ir a qualquer restaurante McDonald’s no dia 30 de agosto e participar”, completou.

Estima-se, segundo os dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), que em torno de 70% das crianças acometidas de câncer podem ser curadas, se diagnosticadas precocemente e tratadas em centros especializados. O câncer infantil é raro, que atinge uma a cada 600 crianças e adolescentes até os 15 anos.

Sobre o McDia Feliz

A campanha McDia Feliz é um sucesso graças à participação fundamental de instituições, funcionários, franqueados e fornecedores, além da mobilização de cerca de 30 mil voluntários que incentivam a sociedade a abraçar a causa da cura do câncer infantojuvenil. Este ano, 73 projetos de 57 instituições de todo o país receberão recursos do McDia Feliz. O McDia Feliz é o dia de maior movimento no ano nos restaurantes McDonald’s, além de despertar a atenção de toda a sociedade e sensibilizá-la para a maior causa de morte por doença entre crianças e jovens de cinco a 19 anos, a campanha visa captar recursos e concentrar esforços em projetos locais, regionais e nacionais a fim de contribuir para o aumento dos índices de cura do câncer infantojuvenil.

Fonte: Assessoria