Marcha pela humanização do parto acontecerá nesse sábado em Teresina

Para mudar essa estatística, o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren – PI) e a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Obstetras do Piauí (Abenfon-PI) promovem a Marcha

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTE SÁBADO (29) DO JORNAL MEIO NORTE

Fazer com que as mulheres escolham pelo parto humanizado é uma missão que está se tornando cada dia mais difícil devido a preferência das mães pelo parto cesariano, que atualmente corresponde a 90% dos partos realizados no Brasil. Para mudar essa estatística, o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren – PI) e a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Obstetras do Piauí (Abenfon-PI) promovem a Marcha pela Humanização do Parto, nesse sábado, em Teresina.

Campeão mundial de cirurgias cesarianas eletivas, o Brasil tem uma taxa de cesarianas que chega a 90% na rede particular e a 52% no Sistema Único de Saúde (SUS), números muito acima dos 15% que são recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Para Clara Noleto, apoiadora do Ministério da Saúde e uma das organizadoras da marcha, o principal vantagem para a mãe que escolhe o parto normal é a relação mais intima com o bebê: “A mãe que fizer a escolha pelo parto humanizado, terá maior intimidade com a criança desde o seu nascimento, como por exemplo o contato entre eles na primeira hora, com primeira amamentação. Além disso, a paciente terá direito à um acompanhante, quase sempre o pai da criança, diminuindo os indices de depressão pós-parto.”

Repórter: Victor Costa

Fonte: Victor Costa