Maternidade Aliança Casamater vira referência em THE

Maternidade Aliança Casamater vira referência em THE

Desde que foi inaugurada, vem atendendo centenas de gestantes com um serviço diferenciado.

Para toda mulher o momento do nascimento do filho é especial e exige condições específicas para um atendimento confortável e humanizado. No entanto, com a sobrecarga nas maternidades públicas, algumas deficiências estruturais e funcionais acabam comprometendo o atendimento numa das horas mais importantes para as pacientes.

Em Teresina, é a rede privada que oferece o atendimento que toda futura mãe espera.

A falta de leitos e médicos obstetras e anestesistas nos hospitais de municípios próximos faz com que muitas mulheres em trabalho de parto procurem as maternidades de Teresina. Mesmo com cinco maternidades públicas, ainda faltam leitos para abrigar grávidas na cidade. Além das pacientes locais, a grande demanda vem de cidades como José de Freitas, União, Demerval Lobão e outras.

A situação se agravou com o recente fechamento do Hospital Maternidade Alarico Pacheco, em Timon, cuja população passou então a procurar atendimento na maternidade Dona Evangelina Rosa, uma das mais tradicionais da capital, funcionando há cerca de 30 anos. ?A Evangelina Rosa é uma maternidade do tipo ?cabeça do sistema?, e deveria atender apenas os casos mais complexos?, explica o obstetra Antônio Nascimento, conhecedor da sobrecarga de mais de 20 partos diários no local.

?Muitos hospitais mistos do interior funcionam de forma precária, faltando médicos, anestesistas e até leitos?, aponta o experiente profissional.

Atualmente, 30% dos atendimentos da Evangelina Rosa são de pacientes de Teresina, mais 30% do interior do Piauí e os outros 40% de outros estados.

Diante do quadro problemático da rede pública, instituições privadas se destacam pela qualidade e reconhecimento na área de saúde.

A Maternidade Aliança Casamater é hoje a mais moderna da capital e, desde que foi inaugurada, vem atendendo centenas de gestantes com um serviço diferenciado.

De acordo com o chefe da obstetrícia da Maternidade Aliança Casamater, Antônio Nascimento, uma maternidade deve primordialmente atender às condições básicas necessárias para o trabalho de seus profissionais, cada vez mais esforçados em proporcionar às grávidas um parto humanizado.

O novo estilo de parto é uma tendência na modernidade, uma vez que defende o momento do parto como uma experiência natural e familiar, priorizando a presença, por exemplo, do pai, no momento do nascimento do bebê.

É em busca desse atendimento cada vez mais pessoal e seguro que as futuras mamães procuram o conforto da Maternidade Aliança, que possui uma ampla estrutura com 16 leitos, 8 apartamentos individuais e 4 suítes. ?As suítes são muito procuradas pelas famílias, que prezam pelo conforto da ante-sala para visitas e banheiros exclusivos?, comenta Nascimento.

?A Casamater está voltando a suas origens, uma vez que surgiu como maternidade e hoje tem um enorme diferencial, que é a hotelaria?, destaca o obstetra, informando ainda que, a partir do mês de maio, o hospital terá plantão presencial de um neonatologista (pediatra), além dos já existentes obstetras e médicos, ambulatórios para emergências.











FOTOS: JOSÉ ALVES FILHO

Fonte: Luana Sena