Maternidade Evangelina Rosa traça ações para diminuir mortalidade

Na reunião, os técnicos da Evangelina Rosa solicitaram apoio.

Teresina vem alcançando bons resultados na redução da mortalidade materna. No entanto, ainda preocupam os índices de mortalidade neonatal na capital. Para tratar do assunto e estabelecer metas e um plano de ação para a redução desses números, o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Luciano Nunes, se reuniu na manhã de hoje com representantes da Maternidade Dona Evangelina Rosa e uma consultora do Ministério da Saúde.

De acordo com dados da Maternidade Dona Evangelina Rosa, 40% dos óbitos neonatais na Maternidade são de pessoas residentes em Teresina. Na reunião, os técnicos da Evangelina Rosa solicitaram apoio e parceria da FMS para que sejam desenvolvidas ações na atenção básica que acarretem na redução desses índices.

“Estamos diminuindo a cada ano o número de mortes maternas na capital, o que é um reflexo de uma série de ações que acontecem na atenção básica de saúde em Teresina. E nosso desejo é trabalhar em parceria com a Maternidade Dona Evangelina Rosa para diminuir também o número da mortalidade neonatal, e para isso iremos atuar para qualificar ainda mais o serviço que é feito pelo Programa Saúde da Família, fortalecer o monitoramento e acompanhamento dos dados, intensificar a conscientização das mães sobre a importância do pré-natal, de forma que possamos ter índices satisfatórios e a diminuição de mortes neonatal em Teresina”, afirmou Luciano Nunes.

Para Isabel Marlúcia Almeida, do Núcleo de Epidemiologia da Maternidade Dona Evangelina Rosa, qualquer conduta na atenção básica que diminua essa morbidade terá uma impacto bastante positivo na saúde. “Os óbitos neonatais podem ser evitados se pudermos investigar, monitorar quais são as causas que estão levando à morte. Temos uma taxa de 27,2% de mortalidade neonatal em Teresina e se pudermos manter uma parceria com a FMS, com o engajamento junto à atenção básica, poderemos sim mudar essa realidade. Lembramos que a mortalidade neonatal é um problema de saúde nacional”, explicou.

Durante a reunião ficou encaminhado que serão realizados encontros nas Diretorias Regionais de Saúde para serem apresentados os dados sobre a mortalidade neonatal, e, a partir disso, ser traçado um plano de ações e metas para a diminuição dos números. O primeiro encontro com os diretores e apoiadores de saúde acontece no dia 17 de junho, às 9h, na Diretorial Regional Leste Sudeste de Saúde.

Na reunião foi sugerida ainda a criação de um Plano Municipal de Redução da Mortalidade Neonatal. Estavam presentes na reunião, além dos técnicos da FMS, o diretor técnico da Maternidade Dona Evangelina Rosa, Joaquim Parente, o chefe do Serviço de Neonatalogia, Marcos Bittencourt, além da consultora do Ministério da Saúde, Carmem Viana.

Fonte: Assessoria