Médico abre biblioteca pública com 7 mil livros

Para que seu objetivo fosse concretizado, o médico comprou uma casa ao da lado da residência pessoal, no bairro Morada do Sol, zona leste de Teresina

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA (07) DO JORNAL MEIO NORTE

O hábito da leitura, é, antes de tudo, uma atividade de crescimento pessoal e coletivo. Hoje, mesmo a prática cotidiana longe de ser o ideal, alguns indivíduos trabalham para que a leitura de um bom livro não morra. Um desses personagens, o médico Fernando de Oliveira Carvalho, leitor compulsivo que há 40 anos compra livros, teve a ideia de montar uma biblioteca pública.

Fernando, que também é Cirurgião Pediátrica e Perito Médico Previdenciário, conta que a paixão pela leitura teve início na alfabetização. Hoje, ele consta acervo de sete mil volumes. “Porém, livro em prateleira não faz sentido. Livro é para ser lido, manuseado, acariciado e mimado. Por isso, a ideia de abrir ao público”, confirma.

Para que seu objetivo fosse concretizado, o médico comprou uma casa ao da lado da residência pessoal, no bairro Morada do Sol, zona leste de Teresina, e contou com apoio da família. “Minhas filhas leem tanto quanto eu. Dessa forma, acredito que um livro é prático, de fácil manuseio e transporte. É a maneira mais maravilhosa que existe para transferir conhecimento”, diz.

A praticidade de manuseio de um livro é uma das vantagens em relação as novas tecnologias, pois mesmo a última agregue crianças, jovens e adultos em diferentes meios, o hábito da leitura continua sendo atual. “Gosto de dizer que só não gosta de ler quem nunca começou a ler. O hábito é um prazer inigualável”, avalia.

Repórter: Daniely Viana

 

Fonte: Daniely Viana